Que dolce vita!

Ronaldinho Gaúcho é recebido como ídolo pela torcida do Milan e confirma: defende a seleção na Olimpíada

O Estadao de S.Paulo

17 de julho de 2008 | 00h00

A tomar por base as primeiras horas de Ronaldinho Gaúcho em Milão, ele tem tudo para viver uma "dolce vita?? nos seus três anos de contrato com o Milan. O atacante teve ontem recepção digna dos grandes ídolos. No aeroporto de Malpenza, foi aplaudido por centenas de entusiasmados torcedores; no caminho até a sede do clube, cerca de 5 mil pessoas estavam lá para aplaudi-lo. Ao chegar a Milanello, teve oficializado aquilo que havia exigido e que, aliás, foi um dos fatores determinantes em sua decisão de se transferir para a Itália: está liberado para ir à Olimpíada de Pequim, como o Estado vinha assegurando nos últimos dias. Mais informaçõesA festa continua hoje, quando haverá a apresentação oficial de Ronaldinho. Será no Estádio de San Siro, em horário nobre (21h30, 16h30 de Brasília). Entrada franca, claro. Ele vai receber a camisa 20.Ronaldinho voltou a sorrir com alegria sincera. Não é para menos: ao descer ontem do avião que o trouxe de Barcelona, ao lado do vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, vislumbrou os milhares de torcedores que, mesmo derretendo debaixo de forte sol, não perderam a força para gritar: "Ronaldinho! Ronaldinho!?? No caminho até o clube, o calor foi igual.O brasileiro retribuiu. Posou para fotos, deu autógrafos e agradeceu, em entrevista concedida ao canal de TV do Milan: "Estou feliz. Realmente, queria vir para o Milan e aqui estou??, disse. "Espero dar alegrias a todos, divertir os torcedores.?? A torcida está acreditando. Ontem, foi registrado grande aumento da venda de carnês para jogos dos "rossoneros??.O clima é de quase êxtase. O dono do Milan, o primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi - que na semana passada dissera que o clube desistira de Ronaldinho, por ser "muito caro?? -, amenizou o discurso. "Custou muito dinheiro, mas vale a pena??, disse. "Contratamos Ronaldinho por amor aos torcedores.?? O Milan pagou ao Barcelona 21 milhões (cerca de R$ 53 milhões), valor que pode chegar a 25 milhões (R$ 63,1 milhões) se, com Ronaldinho, o time voltar a freqüentar a Copa dos Campeões.O jogador está com a bola cheia. A ponto de ter emagrecido da noite para o dia. Pelo menos no olhar de Adriano Galliani. "Ele está magro e com muita vontade de se recolocar em evidência??, disse o dirigente. "A famosa barriguinha não existe mais. Ele disse não a muito dinheiro (R$ 8 milhões, referentes aos 15% que teria direito, sem contar que o salário será R$ 8,8 milhões/ano menor do que recebia no Barça) e está treinando.??O craque tem feitos exercícios físicos com um preparador particular. Tudo pelo esforço para ir para Pequim.PELA TANGENTEA liberação de Ronaldinho para ir aos Jogos obrigou os dirigentes do Milan a mostrar habilidade, a fim de se livrarem de saia-justa. Afinal, o clube proibiu Kaká e o italiano Bonera de disputarem o futebol olímpico, sob a alegação de que não tinha compromisso liberar atletas com mais de 23 anos. Como era sabido que o craque só assinaria contrato mediante a garantia do ?sinal verde?, Galliani tratou de caprichar no argumento. "Ronaldinho se esforçou muito para ir à Olimpíada e deixaremos que vá. Se fosse nosso jogador antes, não teríamos deixado.??O técnico Carlo Ancelotti também entrou em ação na ?operação panos quentes?: "Ir a Pequim vai ajudá-lo a entrar em forma. Quando voltar, estará pronto e só vai precisar se adaptar a nosso esquema tático."Ancelotti diz que sabe como encaixar tantos craques no time. A tendência é que tenha o holandês Seedorf na armação, com três mais avançados: Pato, Kaká e Ronaldinho. "Tenho múltiplas alternativas de formações??, avisou. Todas, claro, com Ronaldinho, o novo príncipe de Milão, no time.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.