Que pena, Brasil!

Depois de campanha brilhante na Copa do Mundo, seleção perde da Alemanha na final

Bruno Lousada, O Estadao de S.Paulo

01 de outubro de 2007 | 00h00

O sonho de erguer pela primeira vez a taça da Copa do Mundo foi adiado. A seleção brasileira de futebol feminino parou nas mãos da goleira Angerer, que defendeu um pênalti cobrado pela craque Marta, e no futebol eficiente da Alemanha. Com gols de Prinz e Laudehr, a equipe européia venceu por 2 a 0, ontem, em Xangai, na China, e sagrou-se bicampeã mundial. Ao Brasil, invicto até ontem, resta valorizar o 2º lugar, a melhor campanha na história da competição, e o esforço do elenco e da comissão técnica, que lutam contra a falta de incentivo. Brilhante até a grande decisão, Marta esteve pouco inspirada ontem, apesar de sua velocidade e habilidade. Em vários momentos não conseguiu furar o forte bloqueio da Alemanha. Foi vigiada de perto o tempo todo. Passava por uma rival e logo havia outra na cobertura. Dos seus pés, poderia ter vindo a reação. Mas, às vezes, o destino é cruel com os craques. Quem não se recorda de um ídolo que tenha perdido um pênalti e pôs tudo a perder? Pois é. Marta sentiu na pele essa frustração. Ajeitou a bola na marca da cal e bateu mal, aos 18 da etapa final. Angerer defendeu. A equipe brasileira perdia por 1 a 0 - gol de Prinz numa falha da zaga e da goleira Andréia - e ganharia uma injeção de ânimo com o empate. "Fui infeliz no pênalti." O Brasil também pode reclamar da sorte. Pôs uma bola na trave num chute forte da volante Daniela Alves quando o placar ainda apontava 0 a 0. Não havia jeito. O dia não era das brasileiras, que não conseguiram superar a goleira alemã. Aliás, Angere entrou para a história como a primeira atleta a não sofrer gols numa competição realizada pela Fifa - tanto no masculino quanto no feminino. Quase no fim da decisão, Laudehr acabou com qualquer pretensão do time do técnico Jorge Barcellos: 2 a 0. As meninas choraram após o apito final. Marta só voltou a sorrir quando recebeu o prêmio de melhor jogadora do Mundial e de artilheira da competição, com 7 gols. A Fifa ainda elegeu a atacante Cristiane como a terceira melhor atleta do torneio. No pódio, as brasileiras protestaram: levaram o cartaz com os dizeres: "Brasil, precisamos de apoio." AS MELHORES Bola de Ouro: MartaBola de Bronze: CristianeChuteira de Ouro: Marta, com sete golsMelhor goleira: Angerer (ALE)Prêmio Fair Play: NoruegaDaniela Alves, Formiga, Marta e Cristiane foram escolhidas em eleição da Fifa para a seleção feminina do Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.