''''Queda vai arrasar os planos''''

Rebaixamento acabará com projetos do Corinthians, diz Andres Sanchez

Cosme Rímoli, O Estadao de S.Paulo

01 de dezembro de 2007 | 00h00

"A pressão que estou sofrendo é inimaginável. Se o Corinthians for rebaixado, será terrível. Vai atrapalhar todo o projeto de modernização do clube. É lógico que estou preocupado, que estou tenso. O clube não pode ser rebaixado. Não pode." O desabafo foi do presidente do Corinthians, Andres Sanchez, ontem, no hall do hotel Holiday Inn, em Porto Alegre. Fumando um cigarro atrás do outro, o dirigente revela de forma franca a preocupação que o domina."O que mais me dói é que tudo o que está acontecendo é uma herança maldita. Toda a confusão da direção passada acabou afetando demais o time??, prosseguiu Sanchez. Ele considera que a pressão externa, com a saída de Alberto Dualib e a investigação da Polícia Federal, refletiu nos jogadores. "Todo mundo está vendo. E justo agora que estamos acertando de vez uma parceria com o Flamengo??, lamentou. "Juntos, temos mais de 50% da torcida do Brasil. Basta não cair que muita coisa vai mudar. Poucos jogos na história vão valer tanto como Corinthians e Grêmio."O presidente tem acertado com a diretoria do Flamengo a criação de uma rede de tevê via internet. Além de um convênio de jogadores. "O Roger não volta mais para o Corinthians. Ele vai acabar ficando por lá", diz. O grande sonho dos dirigentes dos dois clubes é começar a brigar juntos pelas cotas de transmissão. Vão querer preço diferenciado dos outros clubes. "Somos os mais populares."NELSINHO FORTEAndres percebeu que o maior responsável por passar confiança aos jogadores para a decisão de amanhã, o técnico Nelsinho Baptista, também precisa se sentir fortalecido. Por esse motivo, em conversas ao pé do ouvido de Nelsinho antecipou que, se o time não cair, o treinador terá a chance de começar com a equipe em 2008."Eu não seria irresponsável de falar com o Mano Menezes como saiu por aí. Isso é uma tremenda mentira??, garantiu. "Nós vamos jogar contra o Grêmio. Eu não falei com ele e, se alguém conversou por mim, mentiu. O Nelsinho está agüentando uma pressão imensa. Chegou no meio do furacão. Eu gostaria muito de seguir com ele", disse.É o atual treinador quem tem indicado reforços. Deu o seu aval ao atacante Lima; ao zagueiro Chicão, do Figueirense; ao lateral Bustos, do Grêmio; a Leonardo, da Portuguesa; e ao meia Rafinha, do Cruzeiro. "O Rafinha está praticamente fechado mesmo. Estamos montando o time e pensando na Série A."Se a equipe cair, porém, as chances são imensas de um treinador de Série B assumir o comando. Assim como o Palmeiras apostou em Jair Picerni, o Corinthians investiria em Wagner Benazzi, que acaba de levar a Portuguesa à Série A. Em raro momento de bom humor, Andres deixa escapar que há uma compensação se o time cair para a Série B. "O contrato com a Globo será mudado. Vamos exigir mais dinheiro, porque o mundo vai querer ver o Corinthians na Segunda Divisão", provoca. "Mas, se Deus quiser, isso não vai acontecer", complementa, preocupadíssimo. Mais Corinthians nas págs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.