'Quedas' de Neymar preocupam a seleção

Temor de Mano Menezes e dos companheiros é que o atacante fique com fama de 'cai-cai' e acabe marcado pelos juízes

SAINT ALBANS, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2012 | 03h06

Neymar normalmente é um enorme problema para seus adversários, por motivos óbvios. Mas, por estranho que pareça, há um fato que faz com que algumas vezes ele seja um problema também para a seleção brasileira. Mano Menezes já percebeu isso, assim como os companheiros do craque do Santos. Ocorre que as constantes quedas do atacante durante os jogos provocam, além de vaias dos torcedores, uma grande má vontade dos árbitros. E isso pode acabar prejudicando o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres.

No amistoso contra a Grã-Bretanha, na sexta-feira, Neymar caiu várias vezes, como de hábito, e a cada queda viu o juiz mandar o jogo continuar. E é justamente esse o temor de Mano e dos jogadores da seleção, o de que em um momento importante de um jogo decisivo da Olimpíada Neymar sofra uma falta perto da área adversária, ou até mesmo um pênalti, e o árbitro deixe de marcar a infração por acreditar em uma simulação.

Mano toma o maior cuidado ao falar sobre esse problema. Ele jamais cita o nome de Neymar quando menciona a necessidade de não tentar cavar faltas para não ficar marcado pelos árbitros. Sempre cauteloso com as palavras, o gaúcho prefere generalizar as críticas.

"Eu passo aos jogadores as instruções sobre arbitragem de um modo geral e vou continuar fazendo isso, não falo para um ou outro especificamente", disse o treinador. "Às vezes o juiz não marca a falta em um lance em que a falta ocorreu porque sente que o jogador está tentando ludibriá-lo, ele é levado ao erro'', argumentou Mano, claramente se referindo a Neymar.

Menos preocupado com as aparências do que o chefe, Thiago Silva também se mostra incomodado com a fama de "cai-cai'' de Neymar. E não vê problemas em falar sobre o assunto. "Nossa maior preocupação é o Neymar ficar marcado pela arbitragem. Pode acontecer de ele sofrer uma falta e o juiz não marcar. É algo que podemos corrigir nos treinos, o Neymar já sabe dessa responsabilidade.''

Como capitão da seleção, porém, Thiago sente a necessidade de proteger o jogador mais talentoso da equipe. O zagueiro acredita que as quedas de Neymar não acontecem de propósito, mas porque é muito difícil para o atacante não cair muito. "Pelo porte físico que ele tem, ele cai muito mesmo", disse Thiago. "As pessoas acham que ele se joga demais, mas é que o porte físico dele é fraco.'' / M.S.A

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.