Quem chegar primeiro leva US$ 1 milhão

Vencedor da etapa no Rio, amanhã, embolsa maior valor da história

Rio, O Estadao de S.Paulo

30 de agosto de 2008 | 00h00

Nunca na história das competições de automóvel no País se distribuiú um prêmio tão extraordinário como o da sétima etapa do Campeonato da Stock Car, amanhã, no autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. O valor dá nome à prova: "A corrida de US$ 1 milhão (R$ 1,6 milhão)". Hoje será definido o grid. Ontem, nos treinos livres, o bicampeão da Stock Car, Cacá Bueno, estabeleceu o melhor tempo para os 3.336 metros do traçado carioca, com 1min20s923, registrado à média de 148,4 km/h. Como a prova terá 1 hora e 15 minutos, 25 minutos a mais das etapas normais do campeonato, é grande a preocupação dos 34 pilotos e dos chefes de equipe sobre como planejar a participação nas 47 voltas programadas ou 75 minutos de competição. O regulamento mudou. Agora serão dois pit stops com liberdade de substituir os pneus no segundo. "É um desafio para os pilotos e técnicos. Terão de administrar o uso dos pneus e freios, em especial", afirma o promotor do evento, Carlos Col. Cacá Bueno apóia a adoção de regras novas para uma disputa tão especial, mas reclama de que os pit stops serão lentos, por ser obrigatória a presença de apenas um mecânico por roda. "Serão cerca de 30 segundos. Se fossem dois mecânicos por roda seria melhor até para a imagem da Stock Car", diz.Ingo Hoffmann, vencedor oito vezes em Jacarepaguá, comentou que apenas durante a corrida saberá se os pneus vão resistir as 47 voltas planejadas. "Nós não corremos ainda nessa condição", falou. As etapas regulares da Stock Car têm 50 minutos. "Há dúvida se teremos de trocar os pneus. Como não há mais corridas em Jacarepaguá, o asfalto se torna bastante abrasivo pela falta de borracha."Para outro piloto com experiência na Fórmula 1, os pit stops definirão o vencedor da "Corrida de US$ 1 milhão". O representante de Manaus explica que há muitos fatores novos em jogo e desconhecidos das equipes. Apenas sexta-feira os times puderam treinar no circuito, o que é pouco para compreender como o carro irá se comportar na meia hora final da prova, tempo extra em relação ao que estão acostumadas nas provas normais do campeonato.Outra dúvida: correr para faturar o mais elevado prêmio da história do automobilismo brasileiro ou pensar numa boa classificação, apenas, a fim de quase garantir um lugar no playoff, competição que reunirá os 10 melhores no campeonato para decidir o título? A corrida de US$ 1 milhão é a penúltima da fase classificatória. A TV Globo a transmite ao vivo, amanhã, a partir das 10h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.