Quênia leva 2 ouros no dia final do Mundial de Atletismo

O último dia do Mundial de Atletismo em Moscou foi dominado pelos competidores do Quênia nas provas de média e longa distância. Com Eunice Jepkoech Sum, nos 800 metros, e Asbel Kiprop, nos 1.500 metros, o país africano conquistou mais duas medalhas de ouro e confirmou o seu excelente histórico nesse tipo de prova.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2013 | 13h09

Campeão olímpico dos 1.500 metros em 2008, Kiprop defendeu o seu título mundial em Moscou ao registrar o tempo de 3min36s28. Ele foi seguido pelo norte-americano Matthew Centrowitz, que ficou na segunda colocação, com 3min36s78, e pelo sul-africano Johan Cronje, que garantiu o terceiro lugar, com 3min36s83.

Já Eunice Sum marcou 1min57s38 e superou Mariya Savinova na parte final dos 800 metros para conquistar a medalha de ouro. Atual campeã olímpica e ouro no Mundial de 2011, a russa terminou na segunda colocação, com 1min57s80. A norte-americana Brenda Martinez completou o pódio, em terceiro lugar, com o tempo de 1min57s91.

Em uma disputa acirrada com o cubano Pedro Pichardo, o francês Teddy Tamgho foi campeão mundial no salto triplo. Os dois competidores estavam empatados até o último salto, com 17,68 metros, quando Tamgho garantiu o seu triunfo ao alcançar 18,04 metros, deixando Pichardo em segundo lugar. O norte-americano Will Claye garantiu a terceira colocação com 17,52 metros.

Também neste domingo, a alemã Christina Obergföll faturou a medalha de ouro no lançamento de dardo com 69,05 metros. A australiana Kimberley Mickle ficou com a medalha de prata ao atingir 66,25 metros. A russa Maria Abakumova, que era a atual campeã mundial, ficou em terceiro lugar, com 65,09 metros.

QUADRO DE MEDALHAS - A Rússia aproveitou bem a condição de país-sede do Mundial de Atletismo e garantiu o primeiro lugar no quadro de medalhas, com sete ouros, quatro pratas e seis bronzes. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar, com seis ouros, 13 pratas e seis bronzes, seguidos por Jamaica (seis ouros, duas pratas e um bronze), e Quênia (cinco ouros, quatro pratas e três bronzes). O Brasil não conquistou nenhuma medalha em Moscou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.