Quênia suspende empresas que agenciam estrelas do atletismo

A Federação de Atletismo do Quênia anunciou nesta segunda-feira a suspensão das empresas que agenciam alguns dos principais nomes do esporte no país, como Dennis Kimetto, o recordista mundial da maratona, enquanto investiga os crescentes casos de doping entre os seus corredores.

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2015 | 13h56

O presidente da entidade queniana, Isaiah Kiplagat, anunciou nesta segunda-feira a suspensão de duas empresas de gestão de atletas: a holandesa Volare Sports e a italiana Rosa & Associati.

A federação não realizou acusações contra as empresas, mas disse que ambas estão proibidas de trabalhar no Quênia durante seis meses, para que as investigações possam ser realizadas. As autoridades do atletismo queniano já culparam a influência de agentes estrangeiros pelo aumento dos casos de doping.

A Rosa & Associati representa Rita Jeptoo, estrela feminina da maratona, que foi suspensa por dois anos após exame antidoping acusar a presença de EPO. Os clientes da Volare Sports incluem Kimetto e Wilson Kipsang, que já foi recordista mundial da maratona.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoQuêniadoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.