Sergio Shibuya/MBraga Comunicação
Sergio Shibuya/MBraga Comunicação

Queniano Paul Kimutai conquista o bicampeonato da Maratona de São Paulo

No feminino, a compatriota Leah Jerotich cruza a linha de chegada em primeiro lugar

Estadão Conteudo

09 de abril de 2017 | 15h42

O queniano Paul Kimutai confirmou o favoritismo neste domingo e venceu a 23ª edição da Maratona Internacional de São Paulo. Um dos principais nomes inscritos na prova, ele disparou no 30º quilômetro e ganhou com relativa tranquilidade ao completar o percurso de 42.192 metros em 2h17min56. Foi o segundo ano consecutivo em que ele venceu a competição, que neste ano reuniu 18 mil atletas.

Os brasileiros completaram o pódio da maratona. Destaque para Edson Amaro Arruda dos Santos, segundo com o tempo de 2h21min40, e Franck Caldeira de Almeida, terceiro com 2h21min53. Já Wellington Bezerra da Silva foi o quarto e Francisco Ivan da Silva Filho o quinto.

"É minha segunda vitória na Maratona Internacional de São Paulo. Hoje (domingo) fiquei feliz em defender e manter o título. Agora sou o bicampeão da prova. Mas não foi fácil. Estava calor e isso dificultou. Depois do km 30, quando assumi mesmo a liderança, comecei a gostar mais da prova, curti o percurso e fui administrando para vencer", analisou Kimutai.

Já Edson, que chegou a liderar a prova, contou que precisou diminuir o ritmo em um certo momento para se manter entre os primeiros até o fim. "Estava em um ritmo tranquilo e revezava ali na frente, quando o Wellington começou a forçar e puxar mais, e foi aí que eu senti um pouco, porque estava fugindo do meu ritmo. Tive que diminuir e voltar para o meu ritmo. Depois do km 32 eu comecei a crescer na prova."

Na prova feminina, por sua vez, as quenianas dominaram e fecharam nas três primeiras posições. A vitória ficou com Leah Jerotich, que marcou 2h41min58 e venceu com quase dez minutos de vantagem para sua compatriota Priscilla Lorchima. Marizete Moreira dos Santos, em quarto, e Simone Ponte Ferraz, em quinto, garantiram a presença brasileira no pódio.

"É minha primeira participação nesta prova e já consegui esse resultado. Foi muito bom. Mas o clima úmido me incomodou um pouco, especialmente no começo", contou a vencedora. "Mas no quilômetro 20, já na metade da prova, consegui abrir um pouco e depois fui administrando."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.