Justin Lane / EFE
Justin Lane / EFE

Quenianos dominam e vencem a 49ª edição da Maratona de Nova York

Geoffrey Kamworor venceu entre os homens e Joyciline Jepkosgei entre as mulheres

Redação, Estadão Conteúdo

03 de novembro de 2019 | 19h27

Os quenianos dominaram e venceram a 49ª edição da Maratona de Nova York, disputada neste domingo, nos Estados Unidos. No masculino, Geoffrey Kamworor chegou em primeiro, com a marca de 2h08min13s e conquistou seu segundo título na charmosa prova, da qual já havia sido campeão em 2017.

Albert Korir, também do Quênia, terminou a corrida em segundo, com o tempo de 2h08min36s, e o etíope Girma Bekele Gebre ficou com o terceiro posto, com a marca de 2h08min38s.

Campeão no ano passado, o etíope Lelisa Desisa não completou a prova. Ele desistiu depois de 11 quilômetros, talvez sofrendo após uma vitória exaustiva na maratona do Mundial de Atletismo, disputado em Doha, no Catar, há pouco menos de um mês.

Recordista mundial em meia maratona, Kamworor, de 26 anos, que foi terceiro em 2018, dominou grande parte do trajeto e venceu com propriedade. Ele foi recebido na linha de chegada pelo parceiro de treino Eliud Kipchoge, primeiro fundista a completar uma maratona em menos de 2 horas. Ele realizou o feito em Viena, na Áustria, no começo de outubro, mas a marca não foi homologada por ter competido em uma prova não oficial.

Geoffrey Mutai tem o melhor tempo em Nova York entre os homens. Em 2011, ele correu a prova em 2h05min06s. Marilson Gomes dos Santos é o maior representante do Brasil na Maratona de Nova York, ao passo que venceu a prova em 2006 e 2008. Neste domingo, ele foi homenageado ao ser confirmado no Hall da Fama da maratona norte-americana.

Estreante em maratonas, a queniana Joyciline Jepkosgei foi a mais rápida entre as mulheres. Ela despachou a compatriota Mary Keitany, tetracampeã da prova, e completou o percurso em 2h22min38s. Por oito segundos não quebrou o recorde da maratona, que pertence a Margaret Okayo - ela alcançou o feito em 2003. Mary Keitany chegou em segundo (2h23min32s), e a etíope Ruti Aga (2h25min51s), fechou a prova em terceiro.

Os campeões da elite masculina e feminina embolsaram US$ 100 mil (cerca de R$ 400 mil) cada um. No total, foram distribuídos mais de US$ 900 mil (R$ 3,6 milhões) em premiação para as diversas categorias.

Mais de 50 mil corredores de 125 países participaram da Maratona de Nova York neste ano. Disputada desde 1970, a prova é uma das mais charmosas do circuito Top 5 e é realizada sempre no primeiro domingo de novembro.

A Maratona de Nova York fechou o calendário das competições Majors, que incluem outras seis provas de grande nível internacional: as de Tóquio, Boston, Londres, Berlim e Chicago. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.