Elderth Tereza/UpPhoto
Elderth Tereza/UpPhoto

Quenianos dominam e ganham categorias feminina e masculina da Volta da Pampulha

Nicolas Kosgei e Sharon Arusho triunfam em Belo Horizonte em 55min08 e 1h05min11, respectivamente

Estadão Conteúdo

09 Dezembro 2018 | 15h50

O degrau mais alto do pódio da Volta Internacional da Pampulha foi novamente ocupado pelos quenianos, atletas da maior potência internacional das corridas de rua. Nicolas Kiptoo Kosgei venceu a prova no masculino, e Sharon Arusho foi a vencedora entre as mulheres da 20ª edição da tradicional corrida de Belo Horizonte.

Depois da largada dos cadeirantes e da elite feminina, pontualmente às 8h a prova, com percurso de quase 18 quilômetros, começou para o grupo de ponta masculino. Na prova das mulheres, logo se formou um pelotão composto pelas três representantes africanas (Sharon e as também quenianas Emily Chebet e Janet Masai) e pela brasileira Jenifer do Nascimento Silva.

Depois de algumas tentativas de acelerar o ritmo para se distanciar as adversárias, Sharon atacou na altura da Igrejinha de São Francisco para fazer ainda melhor do que ano passado, quando ficou em segundo. A atleta de Eldoret completou a prova em 1h05min11, superando Emily, Janet e Jenifer, a brasileira mais bem colocada, que chegou no quarto lugar.

"Foi cansativo, mas estou bem e feliz por ter vencido desta vez. A temperatura estava baixa, mas não é fácil correr com essa umidade. Mantive um ritmo forte e realmente tentei em alguns momentos testar as adversárias, mas guardei forças para a subida final", destacou a campeã, de 24 anos.

Para a paulista Jenifer, o lugar no pódio foi um feito. "É minha primeira prova na distância, sou especialista nos 5.000m e 10.000m, era na verdade um teste. Acompanhei as quenianas o quanto pude, mas estou muito satisfeita, já que não sabia exatamente o que esperar".

Entre os homens, a expectativa era para saber quem daria fim a seis anos de domínio do mineiro Giovani dos Santos, mais uma vez com o duelo entre brasileiros e africanos como grande atração. Os quenianos Nicolas Kosgei, Nicholas Keter e os brasileiros Gilmar Silvestre Lopes e Damião Ancelmo de Souza brigaram até o fim. No trecho final, Kosgei disparou para fechar o percurso em 55min08, três segundos à frente do compatriota. Gilmar Lopes chegou em terceiro.

"É um percurso característico, plano, até que vem a subida final. Me senti bem, as condições da prova estavam ideais", destacou o vencedor. Gilmar, por sua vez, foi até além do que imaginava, segundo ele. "Esperava ficar entre os cinco, consegui ser o terceiro. Ainda estou em um período de preparação, de base, e minha participação na São Silvestre dependeria da minha marca aqui. Acredito que carimbei o passaporte", afirmou.

 

 

Mais conteúdo sobre:
atletismomaratona

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.