Radcliffe perde financiamento, mas rejeita aposentadoria

A maratonista Paula Radcliffe deixou o programa nacional que dá apoio financeiro aos atletas de alto nível da Grã-Bretanha porque ela não é mais considerada uma competidora com chances reais de conquistar medalhas nas próximas edições do Mundial de Atletismo e nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, pela federação local.

AE, Agência Estado

15 de outubro de 2012 | 13h33

Radcliffe, de 38 anos, ficou fora da Olimpíada de Londres, com uma lesão no pé. A britânica só competiu em uma maratona desde 2009, em Pequim, no ano passado, e ficou na terceira colocação. Apesar disso, ela continua sendo a detentora do recorde mundial da versão feminina da maratona.

A veterana perdeu o apoio financeiro de 26 mil libras anuais, financiado pela Loteria Nacional Britânica, que também custeia gastos médicos e com técnicos para os atletas, além da ajuda financeira. Apesar disso, Radcliffe avisou, através do seu perfil no Twitter, que não possui planos para se aposentar.

"Só para esclarecer, eu sou muito grata pelo financiamento lotérico dado aos atletas e esperava vê-lo ser retirado. Desde o início eu só recebia apoio médico, o que é obviamente importante e vital. Quando o financiamento chegou, eu já vi grandes diferenças em todos os nossos esportes. Aposentadoria definitivamente não está em planos! Eu não estou fazendo todo esse treinamento e deixando esse pé saudável e forte para nada!", escreveu.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoPaula Radcliffe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.