Zeca Resendes/CBGolfe
Zeca Resendes/CBGolfe

Rafael Becker vibra com a possibilidade de disputar torneio de golfe em casa

Atleta busca pontos no ranking no São Paulo Golf Club Championship e mira vaga no Korn Ferry

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

17 de setembro de 2019 | 17h53

Rafael Becker vai disputar o São Paulo Golf Club Championship de olho nos pontos do ranking do PGA Tour Latinoamérica e também na premiação de US$ 175 mil que será distribuída aos competidores - só o campeão embolsa US$ 31,5 mil. O evento, uma espécie de terceira divisão, serve como porta de entrada para o Korn Ferry, o circuito de acesso ao PGA.

A competição começa nesta quinta-feira na capital paulista e o atleta de 28 anos se mostra otimista. "É muito importante pela pontuação e também porque posso competir em casa. Isso é sempre uma honra. Não temos tantos eventos importantes no Brasil, mas agora temos dois torneios no ano e isso é muito bom", comentou.

Essa terceira divisão do PGA tem competições no Canadá, na China e na América Latina. Becker está em 26º lugar, mas só disputou quatro dos nove torneios no ano. Se ficar entre os cinco mais bem colocados no ranking, consegue a vaga direta para o Korn Ferry. "No golfe, uma vitória em um evento importante vale muito", disse.

Profissional há seis anos, ele tem uma rotina pesada. Faz pelo menos uma hora de preparação física específica por dia e treina seis horas no campo, em todas as situações possíveis. Também faz um trabalho de preparação mental, tem nutricionista e fisioterapeuta, entre outros profissionais.

Do ponto de vista financeiro, ele conta com suporte da Confederação Brasileira de Golfe e da Marinha. "Tinha patrocínio de uma empresa no ano passado, mas acabou. Para se ter uma ideia, para disputar um torneio se gasta por volta de US$ 2,5 mil. Para compensar isso, precisaria ficar no top 15 em uma competição com 144 atletas. Não é fácil", disse.

Para a modalidade, ele é bem jovem e sabe que tem muito a evoluir. "O golfe é um esporte muito mental. O pico na carreira costuma ser entre os 32 e 40 anos. Mas é um esporte que está cada vez mais físico e você precisa ter uma regularidade em todos os dias de disputa", afirmou o atleta, que iniciou no golfe por influência do pai. "Ele pratica há 59 anos, meu avô também jogava. Eu cresci nesse ambiente."

Outro foco de Becker é conseguir a classificação para os Jogos de Tóquio. Ele não conseguir disputar a Olimpíada no Rio, mas mantém a esperança. "Tenho o sonho de chegar lá, mas prefiro focar no processo neste momento. Uma classificação será consequência do resultado", comentou.

Para Euclides Gusi, presidente da CBGolfe, as maiores chances olímpicas estão entre os homens do Brasil. "Começamos um trabalho de longo prazo. Temos alguns jogadores com possibilidade no masculino, mas no feminino não temos atletas classificadas pelo ranking. Estamos dando apoio a vários jogadores para que eles possam conquistar pontos e essas etapas do PGA aqui no Brasil são fundamentais para eles. Estamos fazendo força enorme para que possamos ter dois representantes em Tóquio", avisou.

O São Paulo Championship Golf Club será disputado de quinta-feira a domingo e o contrato com a PGA foi renovado para mais dois anos, ou seja, o evento vai ocorrer no mínimo até 2022. Os patrocinadores se mostram empolgados com a novidade. "Para gente vale muito apoiar o PGA Tour Latinoamérica, pelo terceiro ano seguido. O golfe é um esporte ao ar livre, de contato com a natureza, e também que atrai o mesmo segmento de pessoas que o nosso", explicou Caio Abdalla, diretor comercial da Careplus.

Tudo o que sabemos sobre:
Rafael Beckergolfe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.