Reuters/Toru Hanai
Reuters/Toru Hanai

Rafael Silva repete Londres e fica com o bronze no judô

Baby se junta a Rafaela Silva e Mayra Aguiar entre os judocas brasileiros premiados

Marcio Dolzan e Paulo Favero, enviados especiais ao Rio, Estadão Conteúdo

12 Agosto 2016 | 17h27

No último dia de disputas do judô, o brasileiro Rafael Silva conquistou a medalha de bronze ao vencer o experiente Abdullo Tangriev, do Usbequistão, por yuko, para delírio da torcida presente na Arena Carioca 2. Com isso, ele repete o mesmo resultado que obteve nos Jogos de Londres-2012, quando também ficou com a terceira colocação na categoria acima dos 100 kg.

Com a medalha, o judô brasileiro encerra sua participação nos Jogos do Rio-2016 com uma medalha de ouro, de Rafaela Silva, e duas de bronze, de Rafael "Baby" Silva e Mayra Aguiar. O resultado é inferior ao obtido nos Jogos de Londres, quando o Brasil obteve quatro medalhas (uma de ouro e três de bronze).

A campanha irregular do Brasil também fez com que a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) não alcançasse sua meta. A intenção era obter a melhor campanha da história, mas alguns atletas favoritos ao pódio em suas categorias, como Sarah Menezes, Erika Miranda e Victor Penalber, saíram sem medalha.

O pódio de Baby coroa um momento de superação do atleta, que por pouco não ficou fora dos Jogos Olímpicos por causa de uma lesão no ombro. Ele passou meses longe do tatame e quase perdeu a vaga para David Moura. No final, conseguiu se recuperar a tempo, obteve os pontos no ranking e pôde representar o País na categoria.

Baby só não foi mais longe porque cruzou nas quartas de final com o favorito Teddy Riner, da França, e acabou perdendo por wazari. O judoca francês reina há anos na categoria dos pesados e já se sabia que o brasileiro teria enorme dificuldade contra o rival. E foi o que aconteceu.

Antes das quartas de final, Baby vinha de duas vitórias. A primeira foi contra Ramon Pileta, de Honduras, por ippon. O judoca acertou um osoto-gari e venceu. Na sequência, encarou o russo Renat Saidov e também ganhou por ippon, graças a um osoto-makikomi. Na repescagem, o brasileiro venceu o holandês Roy Meyer e se manteve vivo na briga pela medalha, que veio conquistar.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.