Paul Sancya/AP
Paul Sancya/AP

Rafaela Silva admite erro após desclassificação no judô

Depois de abandonar o tatame soluçando de tanto chorar, brasileira afirmou que o fracasso é página virada

WILSON BALDINI JR. - Enviado especial, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 09h19

LONDRES - Rafaela Silva reconheceu que cometeu o erro na luta diante da húngara Hedvig Karakas, que a desclassificou na segunda rodada do peso leve (até 75 quilos). "Achei que já era o momento certo de aplicar o golpe a acabei errando", disse a judoca, referindo-se à técnica do kata otoshi. "O que dói mais é saber que ela saiu da disputa por erro dela e não por superioridade do adversário", afirmou o diretor técnico Ney Wilson.

Em 2009, a Federação Internacional de Judô (FIJ) passou a limitar a técnica de pegadas de perna. Agora, os judocas só podem usar essa técnica em três oportunidades: quando sofrem o ataque primeiro, quando o adversário usa a pegada invertida ou quando a pegada na perna vem no transcorrer de um outro golpe.

Depois de abandonar o tatame soluçando de tanto chorar, Rafaela, mais calma, afirmou que é o fracasso é "página virada". "Temos de começar a pensar no Rio/2016 a partir de já", disse a judoca, de apenas 20 anos.

Bruno Mendonça, que também caiu na segunda rodada, não tinha do que reclamar. "Não posso falar nada do árbitro, pois meu papel era dar o ippon e não consegui", disse o judoca, que teve uma postura muito passiva durante os cinco minutos de combate contra o holandês Dex Elmont.

Por meio da ferramenta Storify, o Estadão.com.br reuniu comentários dos internautas sobre a desclassificação da judoca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.