Raikkonen começa lento na defesa do título; Massa reclama

Para quem defende o título de campeãodo mundo da Fórmula 1, Kimi Raikkonen teve um início detemporada decepcionante, causado por um problema na bomba decombustível de seu carro que arruinou suas chances de garantira pole position do GP da Austrália, que abre a competição de2008. No domingo, o finlandês irá largar em 15o lugar no grid,posição pouco familiar para ele, depois que sua Ferrari quebrouao final da primeira sessão de treino classificatório noautódromo de Albert Park, na madrugada deste sábado (horário deBrasília). O campeão largaria em 16o, mas o nono colocado, o alemãoTimo Glock, da Toyota, foi penalizado com a perda de dezposições no grid --cinco pela troca não-programada da caixa decâmbio e mais cinco por obstruir a passagem de outro piloto-- ecaiu para o 19o lugar. "Lógico que estou decepcionado", declarou Raikkonen aosrepórteres. "Tive um problema eletrônico com a bomba de combustível,que me forçou a parar próximo ao pit lane e foi impossível,para mim, voltar à garagem e tentar consertar o problema." "Essas coisas acontecem, mas, definitivamente, não é amelhor maneira de se começar uma temporada", disse ele. "Agora, temos de tentar fazer nosso melhor para conquistaralguns pontos amanhã (domingo), porque é importante marcaralgum ponto em toda corrida." O chefe de equipe da Ferrari, Stefano Domenicali, disse queos mecânicos do time ainda estavam tentando descobrirexatamente o que causou a quebra. "Definitivamente, este não era o resultado que estávamosesperando", declarou. "Nós temos que descobrir exatamente o que aconteceu com ocarro do Kimi, e amanhã ele terá uma luta difícil durante todaa corrida para recuperar posições", acrescentou o chefe daFerrari. MASSA LARGA EM QUARTO A Ferrari havia conquistado a pole em cinco dos últimossete GPs da Austrália, mas dessa vez não conseguiu colocarnenhum de seus carros na primeira fila, já que o brasileiroFelipe Massa terminou o treino classificatório em quarto lugardepois de ter seus próprios problemas. "Não acho que o resultado retrate a realidade, porque eunão cheguei a dar uma volta com meu último jogo de pneus",disse o brasileiro. "Quando eu saí para minha última tentativa fiquei preso porvários, vários carros que estavam muito devagar, e com nossocarro é necessário forçá-lo na volta de aquecimento, docontrário não conseguimos a temperatura ideal nem a aderênciados pneus", afirmou. "Fui prejudicado por causa disso e foi uma pena porque achoque tinha chance de brigar pela pole." Raikkonen venceu a prova no ano passado quando Massa teveproblemas, e Luca Baldisserri, chefe de pista da Ferrari, disseque parece que já viu essa história antes. "Tenho a impressão de estar vendo uma repetição do treinodo ano passado, mas uma versão ainda pior", contou. "Nós sabíamos que teríamos de brigar um pouco para fazertempos rápidos em uma única volta e essa dificuldade nosacertou em cheio dessa vez." "Entretanto, nós somos competitivos em corrida e podemosser confiantes em relação amanhã, mesmo com Kimi tendo umtrabalho árduo pela frente", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.