Raio atinge avião da Itália e apavora os jogadores

Incidente ocorreu no fim do voo, quando a aeronave já estava descendo para pousar em Genebra

O Estado de S.Paulo

21 de março de 2013 | 02h08

A delegação italiana levou um grande susto durante o curto voo que a levou ontem de Florença para Genebra. O avião foi atingido por um raio quando estava em processo de descida para o pouso, e muita gente ficou apavorada com o estrondo metálico causado pelo impacto na fuselagem e com o clarão que iluminou a parte interna da aeronave.

A viagem começou às 17h28 (horário italiano) e deveria durar 50 minutos (acabou durando uma hora e seis minutos). Pouco depois de entrar no espaço aéreo suíço o comandante Roberto Andolfato avisou que atravessariam uma área de turbulência com ventos de até 150 quilômetros por hora. O avião balançou, mas logo tudo voltou ao normal.

Quando todos (jogadores, comissão técnica, dirigentes e jornalistas) estavam tranquilos à espera do pouso, veio o susto. O raio atingiu o lado esquerdo da fuselagem, perto da cauda.

"Desafio qualquer um que estava no avião a dizer que não sentiu medo", disse o técnico Cesare Prandelli. Uma das aeromoças disse que, em 24 anos de carreira, foi apenas a segunda vez que viveu essa experiência. E a primeira providência que vários jornalistas tomaram ao pisar em terra firme foi comprar passagem para voltar de trem amanhã.

Giaccherini joga. Em relação ao time, Prandelli estuda uma mudança em relação à formação que tinha na cabeça no começo da semana: Giaccherini no lugar de Montolivo.

Ele está mais propenso a escalar o meia da Juventus por considerá-lo mais agressivo do que Montolivo. Sua intenção é atacar o Brasil.

"Vamos enfrentar uma equipe de qualidade técnica impressionante. O Brasil é favorito, mas temos condição de colocá-lo em dificuldade."

O volante Pirlo considera o jogo de hoje muito importante para avaliar o nível em que se encontra a equipe. "Jogar contra o Brasil é sempre especial. Eles são muito fortes, e por isso será um ótimo teste para avaliarmos a nossa equipe."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.