Javier Etxezarreta/EFE
Javier Etxezarreta/EFE

Raiza e Isabella ficam em 5º e 6º e Brasil segue zerado no ciclismo

Ouro acabou com a canadense Emily Batty no mountain bike

Estadão Conteúdo

12 de julho de 2015 | 13h29

Com cinco medalhas, sendo apenas uma de ouro, o Brasil está se acostumando a ficar no quase nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Neste domingo, isso aconteceu mais uma vez, agora na disputa feminina do ciclismo mountain bike. Raiza Goulão foi a quinta colocada, seguida de Isabella Lacerda, em sexto.

No primeiro dia de disputas de medalhas, o Brasil ficou no quase, com o quarto lugar em cinco disputas: no nado sincronizado por duetos e equipes, com Cesar Castro no trampolim dos saltos ornamentais, com Anderson Ezequiel no BMX masculino e Priscila Carnaval no feminino.

No mountain bike, as brasileiras não eram favoritas, mas chegaram a Toronto com reais possibilidades de subirem ao pódio. O ouro, entretanto, acabou com a canadense Emily Batty, seguida de perto pela compatriota Catharine Pendrel, ambas Top 10 do mundo. Mais de cinco minutos depois chegou a norte-americana Erin Huck. As brasileiras ainda ficaram atrás da mexicana Daniela Campuzano.

Raiza, 26.ª do ranking mundial, completou a prova em 1h35min17. Isabella, que está três posições abaixo no ranking, fechou em 1h35min46, a pouco mais de três minutos da medalhista de bronze.

Pensando nos Jogos Olímpicos do Rio, o resultado não é ruim. Afinal, com os pontos obtidos em Toronto, o Brasil deve subir da 12.ª colocação do ranking de nações. Para ter duas ciclistas na próxima Olimpíada, o País precisa atingir o oitavo lugar.

Ainda neste domingo, às 15h05 de Brasília, acontece a prova masculina de mountain bike no Pan. O Brasil, que não ganhou nenhuma medalha no ciclismo em Guadalajara, compete com Rubinho Valeriano e Luis Cocucci.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.