Rally Dakar 2009 passará 10 dias na Argentina e 5 no Chile

Competição, que terá largada em 3 de janeiro, percorrerá 9 mil quilômetros; prova não mudará de nome

REUTERS

12 de fevereiro de 2008 | 14h54

O Rally Dakar 2009, que pela primeira vez na história sairá da África, terá de passar por 9.000 quilômetros em 10 dias na Argentina e 5 no Chile, disseram os organizadores nesta terça-feira. A competição, que mudou de local por razões de segurança, começará em 3 de janeiro e terminará no dia 18 desse mês em Buenos Aires. Os corredores deverão entrar nos pampas, em direção à Patagônia, para depois subirem pelo oeste do país até cruzar a Cordilheira dos Andes rumo ao Chile, onde o rali terá seu dia de descanso na cidade balneária de Valparaíso. Em seguida, a corrida vai subir para o norte, para o deserto de Atacama, antes de voltar à Argentina pelo noroeste e chegar novamente a Buenos Aires. No total, serão atravessadas 9 províncias argentinas (Buenos Aires, La Pampa, Río Negro, Chubut, Neuquén, Mendoza, Catamarca, Córdoba, Santa Fe) e no Chile o percurso vai desde Valparaíso até Atacama. A edição 2008, segundo Etienne Lavigne, diretor da Amaury Sport Organisation - promotora do evento -, foi suspensa devido à morte de quatro turistas franceses na Mauritânia e de ameaças terroristas contra a corrida. Antes chamada de Paris-Dacar, a competição foi realizada sem interrupções desde 1979, sempre visitando a África. Apesar de se mudar para a América do Sul, o rali não mudará de nome, de acordo com o jornal Clarín, que citou os organizadores como fontes.

Tudo o que sabemos sobre:
Rally Dakarrali

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.