Rally dos Sertões utiliza tecnologia do Sentinel

Depois de um pequeno problema de autorização na primeira etapa, os competidores do Rally dos Sertões puderam utilizar a tecnologia do Sentinel nesta sexta-feira, no percurso entre Minaçu (GO) e Palmas (TO). O recurso aumenta a segurança da prova, ao avisar o participante, através de onda de rádio, quando um veículo quer ultrapassar o outro.Antes da largada da primeira especial, na quinta-feira, a Agencia Nacional de Telecomunicações (Anatel) proibiu o uso do Sentinel. Ela afirmou que o sinal de rádio emitido pelo aparelho não estava em uma freqüência autorizada. Mas a organização do rali conseguiu a liberação e o equipamento já está funcionando.?Não sabíamos desse sinal de rádio, então não pedimos autorização prévia. Pelo bom senso da equipe da Anatel, eles perceberam que isso é um equipamento que visa a segurança na prova e nós conseguimos a autorização?, explicou o organizador do Rally dos Sertões, Marcos Ermírio de Moraes. ?É um equipamento usado nos maiores ralis do mundo, como o Dakar, muito importante para a segurança?, disse o diretor do Rally dos Sertões, o português Jaime Santos.O Sentinel é um equipamento francês que usa ondas de rádio para avisar quando um veículo quer ultrapassar o outro. Serve para aumentar a segurança nas ultrapassagens tanto de carros em motos como de carros em carros. Quando um veículo chega na distância de 250 metros, o piloto pode acionar a buzina, que ativa o Sentinel e envia a onda de rádio. Quando elas chegam no veículo da frente, sirene e luzes são ativadas e avisam o piloto que ele será ultrapassado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.