Ranking é motivo de discórdia

O lançamento da Superliga de Vôlei, ontem, em São Paulo, foi marcado por uma novidade - a possibilidade de contratação de dois estrangeiros por equipe - e pela preocupação de vários jogadores com a questão do emprego para os atletas nacionais. Alguns reclamam que o ranking elaborado para aumentar o equilíbrio entre os times está obrigando colegas a se mudar para o exterior. Outros reivindicam um critério mais rígido para contratação de estrangeiros. A CBV alega que os critérios do ranking foram aprovados pelos clubes. (leia mais estadao.com/esportes)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.