Wilton Júnior|Estadão
  Wilton Júnior|Estadão

  Wilton Júnior|Estadão

Rayssa Leal se mostra animada para competir no Rio pelo último evento da temporada

'(O reconhecimento) é a melhor coisa do mundo, e me motiva muito quando estou andando', disse a skatista ao Estadão

Marcio Dolzan/RIO , O Estado de S.Paulo

Atualizado

  Wilton Júnior|Estadão

Quem sempre foi amante do skate ou passou a olhar para o esporte com mais carinho após o sucesso nos Jogos de Tóquio tem uma ótima oportunidade de ver de perto algumas das principais estrelas do País por aqui até o próximo domingo. Nomes como os medalhistas olímpicos Rayssa Leal e Pedro Barros, além da campeã mundial Pâmela Rosa, competem no Oi STU Open Rio, que fecha o calendário de competições.

Os principais atletas começaram a chegar à Praça Duó, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, ainda nesta quarta-feira. As baterias eliminatórias estão marcadas para quinta e sexta, e as finais acontecem no final de semana. A entrada é gratuita, mas é preciso reservar ingresso e apresentar comprovante de vacinação.

Apesar de já serem ídolos de muita gente, chama a atenção a simplicidade dos competidores. Ao contrário do que acontece em outros esportes, os competidores também encaram fila para pegar suas credenciais de acesso. Por lá mesmo, trocam ideia entre eles e posam para fotos com os fãs.

Foi o que aconteceu com Rayssa Leal, que chegou com toda a família por volta das 10h30 desta quarta. Medalhista de prata em Tóquio, campeã de etapa do Mundial e vice do mundo na temporada, ela também foi para a fila. Depois, atendeu a inúmeros fãs no calçadão da praia da Barra.

"(O reconhecimento) é a melhor coisa do mundo, e me motiva muito quando estou andando. Sempre que a gente acerta uma manobra eles vibram. É uma sensação bem diferente", disse a skatista ao Estadão.

Mesmo tendo rodado o mundo nesta temporada, ela se mostrou ansiosa por competir no Rio. "A gente sente falta da torcida do Brasil, porque ela é única. Terminar aqui vai ser um enorme prazer. Estar no Rio de Janeiro de novo, poder curtir com a família inteira. Viajei com todo mundo, vai ser irado."

A mãe da Rayssa, Lilian, também está animada com o fechamento da temporada em solo brasileiro. "É incrível. A primeira competição que a gente teve no Brasil este ano foi em janeiro, então quase um ano depois ter outra competição, fechar o ano aqui no Brasil, com a torcida, é a melhor coisa que tem", comentou.

"Foi um ano bem difícil por causa da pandemia que estamos vivendo, mas em termos de skate foi bem produtivo, bem legal. A Rayssa pôde estar competindo, se divertindo com as amigas dela, que é a coisa que ela mais gosta de fazer. Ganhou duas etapas de Mundial, foi vice-campeã, conseguiu uma medalha olímpica. Foi um ano super legal pra ela."

Além da xodó Rayssa, vários outros atletas de ponta do skate brasileiro estão no Rio para a competição. Um deles é Pedro Barros, principal nome do park e prata em Tóquio. "É muito legal estar no Oi STU mais uma vez. É um evento que representa a cultura, o movimento e a união do skateboard. Após a pandemia poder estar junto dos skatistas do Brasil inteiro é algo muito especial", disse o skatista, durante coletiva de imprensa oficial do evento.

Outra atleta que dispensa apresentações é Pâmela Rosa, atual campeã do mundo e que está no Rio para defender o título conquistado na edição de 2019 - no ano passado, o Oi STU Open Rio não foi realizado devido à pandemia. "A gente espera por isso todo o ano, porque é a competição que fecha a temporada. Estou muito feliz de estar aqui, me divertindo, andando de skate", considerou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.