Real joga pela honra contra o Barcelona

Time tenta manter a liderança (ganha no saldo de gols do rival) e diminuir crise pela saída da Copa dos Campeões

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2010 | 00h00

O clássico de hoje contra o Barcelona, às 17 horas (horário de Brasília), no Santiago Bernabéu, é muito mais que uma final antecipada para o Real Madrid. Empatado por pontos com o arquirrival catalão na liderança do Campeonato Espanhol, os madrilenhos jogam por seu orgulho.

Derrubar o aparentemente imbatível time de Messi é o desafio que resta a um clube que apostou alto na temporada. Sem Kaká, o Real confia em Cristiano Ronaldo para sair vencedor nesta que chegou a ser taxada pelos espanhóis, com boa dose de exagero, de "a partida do milênio".

"O assunto na cidade e no país é só esse. Ainda mais sendo intitulado como uma "final" antecipada", diz o lateral brasileiro Marcelo, do Madrid. "A imprensa e os torcedores estão encarando o jogo como uma verdadeira decisão. O clima fica diferente, mais tenso."

Eliminado diante de sua torcida na Copa dos Campeões, contra o Lyon, o Real viu ruir o projeto de conquistar o décimo título jogando em sua casa ? a final desta edição será no Santiago Bernabéu, no dia 22 de maio. "A eliminação da Copa dos Campeões nos entristeceu bastante", reconhece Marcelo. "Era o grande objetivo do ano, mas não conseguimos e temos de esquecer."

Para piorar, o Barça já está garantido na semifinal e tem boas chances de roubar o sonho dos madrilenhos. Para os catalães, seria o golpe perfeito em uma rivalidade que transcende os gramados ? na Catalunha, mesmo reconhecida como nacionalidade histórica, o movimento separatista ainda é bastante influente.

Esperança lusa. O projeto ousado de contratação de estrelas no Real Madrid, iniciado há dez meses pelo presidente Florentino Pérez, teve seu ápice na compra do português Cristiano Ronaldo. Os 94 milhões (quase R$ 225 mi) que o clube espanhol desembolsou pelo craque é o maior valor já pago por um jogador de futebol.

Por isso mesmo, o português é a grande esperança dos merengues para fazer frente ao talento e à boa fase de Messi. Para Marcelo, o companheiro não tem ficado atrás do argentino. "São dois grandes jogadores e os dois melhores do mundo no momento. Messi vem fazendo ótimas partidas e muitos gols, mas Cristiano Ronaldo também vem mostrando um grande futebol", afirma o lateral. "Acho que os dois farão uma grande Copa."

No ano passado, o Barça aplicou 6 a 2 sobre o Real em Madri ? Messi fez dois. Marcelo, a exemplo do que declarou o técnico Manuel Pellegrini, garante que não haverá esquema especial para tentar parar a principal estrela do rival. "O treinador não passou nenhum tipo de instrução de marcação especial no Messi."

O time madrilenho não terá Kaká, que ainda sente dores causadas por uma pubalgia. A equipe de Pellegrini, no entanto, terá o retorno de Xabi Alonso e Sergio Ramos. No Barça, o sueco Ibrahimovic segue fora da equipe, mas Guardiola pode contar com a volta de Iniesta e de Piqué.

Empatado com o Barcelona por 77 pontos na liderança do Espanhol, o Real leva vantagem no saldo de gols (57 a 56), a oito rodadas do fim do campeonato.

"O Barcelona vem de grandes atuações na Copa dos Campeões, mas o Real Madrid está mostrando força no Campeonato Espanhol e venceu os últimos 12 jogos nesta competição", lembra Marcelo. No primeiro turno, o Barça venceu por 1 a 0 no Camp Nou, com gol de Ibrahimovic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.