Recorde mundial de público na Austrália

62 mil pessoas assistiram aos jogos, ontem, no Albert Park, em Melbourne

Chiquinho Leite Moreira, O Estadao de S.Paulo

18 de janeiro de 2008 | 00h00

O Aberto da Austrália sempre foi considerado o mais tranqüilo dos quatro torneios do Grand Slam. Mas, de uma hora para outra, atraídos pelo sol e pela facilidade para adquirir ingressos, turistas de quase todo o mundo aventuram-se a uma longa viagem para ver de perto as maiores estrelas do tênis. A conseqüência é que ontem Melbourne Park transformou-se no centro de tênis do planeta a receber o maior público da história do esporte. As sessões diurnas e noturnas tiveram público total de 62.885 pessoas.O recorde supera a marca do festivo US Open, realizado em Nova York, que no ano passado teve 61.083 torcedores cruzando as bilheterias no dia 1º de setembro para acompanhar jogos do torneio. Um dos principais responsáveis por essa popularidade é o cipriota Marcus Baghdatis, finalista em Melbourne há dois anos e que foi adotado pela enorme colônia grega na cidade - mais de 800 mil pessoas. Sua partida contra o carismático russo Marat Safin atraiu público de 18.951 espectadores, o maior da Rod Laver Arena.Para premiar a festa, Baghdatis venceu a partida com tons épicos, muitas disputas, rivalidade e com direito a um show de raquetes quebradas do temperamental Safin. Ao fim de cinco sets, o cipriota venceu por equilibrados 3 a 2 ( 6/4, 6/4 2/6, 3/6 e 6/2).Não faltaram atrações para o público. Durante o dia, uma aula de tênis de Roger Federer, que, ao bater o francês Fabrice Santoro por 6/1, 6/2 e 6/0, aplicou um total de 53 winners - bolas indefensáveis. Para completar, o suíço revelou toda sua elegância ao esperar por Santoro no momento de deixar a quadra, para que ambos recebessem os aplausos da torcida. O número 1 do mundo foi embora sorrindo. "Diverti-me muito", disse, enquanto Santoro completou: "Estou numa idade (35 anos) em que não só gosto de jogar, como também sei apreciar o que há de bom nos adversários". Em outros jogos, Novak Djokovic passou por Simone Bollalli por 6/1, 6/2 e 6/2 e David Nalbandian bateu Fernando Verdasco por 7/5, 7/6 e 7/6. No feminino, Ana Ivanovic superou a italiana Tatiana Garbin por 6/0 e 6/3.DECEPÇÃO BRASILEIRAPara o tênis brasileiro, mais um gosto amargo. A dupla Marcelo Melo e André Sá caiu na estréia diante da parceria formada pelo argentino Lucas Arnold e o espanhol Feliciano Lopez por 7/6 (11), 6/7 (4) e 6/4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.