Divulgação
Divulgação

Recordista mundial ficará fora da Maratona de Berlim

Queniano Patrick Makau está fora da prova

AE-AP, Agência Estado

13 de setembro de 2013 | 10h37

BERLIM - Nos últimos 10 anos, todas as vezes que o recorde mundial da maratona foi melhorado, isso aconteceu na Maratona de Berlim, na Alemanha. E a expectativa é que um novo recorde possa ser batido na edição deste ano, marcada para o próximo dia 29. Favorito a conseguir o feito, o atual recordista, o queniano Patrick Makau, porém, está fora da prova.

Makau, que cravou 2h03min38 na edição de 2011 da Maratona de Berlim, não vai poder correr na Alemanha neste ano porque está com uma inflamação no joelho esquerdo. "Eu quero melhor a marca, mas agora a primeira coisa que passa pela minha cabeça é me recuperar completamente da lesão para voltar a tratar".

Desde 2003, em quatro vezes a Maratona de Berlim teve o vencedor batendo recorde mundial. Começou com o queniano Paul Tergat (2003), depois teve duas vezes o etíope Haile Gebrselassie como recordista (2007 e 2008) até chegar a vez de Makau, que também venceu em 2010, sem recorde.

Foi em Berlim, em 1998, que Ronaldo da Costa se tornou o único brasileiro a liderar o ranking mundial histórico da maratona, batendo o recorde com 2h06min05, marca que durou por pouco mais de um ano. Hoje principal maratonista brasileiro, Marilson Gomes da Silva conseguiu uma vaga no pelotão de elite e vai correr em Berlim para melhorar seu recorde pessoal, de 2h06min34.

Tudo o que sabemos sobre:
maratonaMaratona de BerlimRio 2016

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.