Recuperado, Cássio estará de volta no clássico de domingo

Recuperado da lesão no ombro esquerdo, o goleiro Cássio confirmou que volta ao gol do Corinthians no clássico contra o Palmeiras, domingo, no Pacaembu.

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2013 | 02h02

Será o primeiro jogo dele após a final do Mundial de Clubes no Japão, contra o Chelsea, em dezembro. "Estou muito feliz com minha recuperação", afirmou. "Voltar num clássico é bom porque a bola vem mais. Tenho de ficar focado."

Cássio, que sofre de bursite no ombro esquerdo, disse ainda não estar 100%, porém não sente mais dores no local. "Não tenho restrição, posso fazer qualquer movimento."

Para ele, não há favoritismo contra o Palmeiras. Lembrou de sua passagem pelo Grêmio, campeão do Gauchão (2006) em cima do Inter, que viria a ser campeão da Libertadores e do Mundial. "Em clássico, às vezes, um time que está por baixo, ressurge, tem de ter atenção."

Cássio disse que seu retorno estava previsto para o jogo contra o São Caetano, no sábado, mas a comissão técnica preferiu "segurá-lo" para voltar no clássico, três dias antes da estreia do time na Libertadores - dia 20, contra o San Jose, na Bolívia.

A volta do goleiro será a única novidade do time para enfrentar o Palmeiras. Tite tem todos os jogadores à disposição - a exceção ainda é o zagueiro Chicão, que ainda não jogou em 2013 porque passou por uma artroscopia no joelho esquerdo.

Os jogadores se reapresentaram ontem depois de ganharem dois dias de folga por causa do carnaval. Eles foram a campo e participaram de um treino físico. Primeiro, apenas correram em volta do gramado. Depois, realizaram um treino técnico com bola em campo reduzido.

Emerson Sheik foi único jogador que não participou do treino no gramado. Por causa do corte que sofreu na região do olho direito, o atacante não podia tomar sol.

SANTOS. LEIA MAIS

NOTÍCIAS DO CLUBE NO

estadao.com.br/e/santosfc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.