Dimitar Dilkoff/AFP
Dimitar Dilkoff/AFP

Red Bull domina, mas rivais encostam

Adversários da equipe de Vettel e Webber diminuem diferença para a escuderia. Evolução da Mercedes é o destaque

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2011 | 00h00

As corridas da Austrália, Malásia e China mostraram que os pilotos da Red Bull, Sebastian Vettel e Mark Webber, são, claro, muitos rápidos, mas menos nos treinos classificatórios. Boa notícia para o GP da Turquia, hoje, com largada às 9 horas, horário de Brasília. Ontem Vettel e Webber se deram ao luxo de sair do carro e assistir à parte final do treino pela TV. A quarta pole position de Vettel no ano estava garantida (sétima seguida), bem como o segundo lugar para Webber.

Mas os tempos do grid confirmam o que se esperava: os adversários se aproximaram. E num traçado que pelas suas características favorece o modelo RB7 da Red Bull, por conta de sua refinada aerodinâmica. O primeiro concorrente da Red Bull é o combativo Nico Rosberg, terceiro, que desde sexta-feira realiza trabalho impecável, aproveitando-se muito bem no significativo avanço da Mercedes.

Nico registrou 1min25s574, diante de 1min25s049 de Vettel, ou 525 milésimos mais lento. Na abertura do campeonato, em Melbourne, Nico largou em sétimo, assustador 1 segundo e 892 milésimos atrás do pole. Se o raciocínio linear valer, e há nele certa representatividade, a Mercedes recuperou nada menos de 1 segundo e 367 milésimos em relação a Red Bull. "É impressionante a nossa evolução. A maior diferença vem da forma como acertamos o W2 mecanicamente, em especial as suspensões, o que nos permitiu explorar melhor a aerodinâmica", explicou o jovem alemão da Mercedes.

"O acidente de ontem (sexta-feira) não prejudicou meu fim de semana. Os mecânicos recuperaram o carro, bem danificado, e ontem Webber recolheu vários dados para o acertarmos para a pista", disse Vettel, líder do Mundial, com 68 pontos diante de 47 de Lewis Hamilton, da McLaren, quarto no grid em Istambul. "Quando vimos que a colocação não corria risco, decidimos não tentar melhorar a marca e economizar um jogo de pneus para a corrida", disse Vettel, o que menos treinou no fim de semana.

O segundo lugar na classificação é o melhor de Webber este ano. E por estar com o carro mais veloz do grid e largar ao lado de Vettel, teve de responder sobre o ocorrido em 2010: os dois lideravam com folga e quando Vettel tentou ultrapassá-lo, se chocaram. "Faremos de tudo para evitar, aprendemos muito com aquele acidente", falou.

"É cedo, mas esse resultado sugere que avançamos menos que nossos adversários", comentou Hamilton, opinião compartilhada pelo companheiro, Jenson Button, sexto. A Ferrari conseguiu colocar Fernando Alonso entre os dois. O espanhol especializou-se na posição, é a quarta seguida. Mas estava bem contente. "Diminuímos a diferença. Estamos a 8 décimos de segundo da Red Bull, quando chegou a 1 segundo e 6 décimos. Estou na frente de uma McLaren, o que parecia impossível."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.