Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Reforma do Engenhão para Olimpíada custará R$ 52 milhões

Concorrência para obra no estádio termina com deságio de 0,5%

Estadão Conteúdo

15 de abril de 2015 | 21h13

A prefeitura do Rio anunciou nesta quarta-feira a construtora Augusto Velloso como vencedora da concorrência para reformar o Engenhão para que o estádio possa ser utilizado nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. A obra vai custar R$ 52,037 milhões, apenas R$ 262 mil a menos do que o valor proposto em edital. Assim, a concorrência terminou com deságio de apenas 0,5%.

Pelo que explicou a prefeitura, em nota, a empresa terá um ano para executar as obras e todas as adequações acontecerão com o estádio aberto para jogos. Entre as obras previstas neste edital estão novas pistas de atletismo (principal e de aquecimento), revisão do sistema de distribuição de energia e de iluminação, e adequações de acessibilidade para o público e para atletas com mobilidade reduzida.

A reforma de R$ 52 milhões não inclui a instalação de arquibancadas temporárias (que ampliarão a capacidade do estádio de 45 mil para 60 mil pessoas) e a instalação de um novo placar eletrônico. Essas responsabilidades são do Comitê Rio-2016, enquanto a reforma está à cargo da prefeitura do Rio.

O Engenhão (chamado oficialmente ''Estádio João Havelange'') foi construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007 e custou cerca de R$ 380 milhões. O local ficou dois anos interditado por problemas de estrutura e foi reaberto para esta edição do Campeonato Carioca, ainda que com capacidade reduzida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.