Religiosos tibetanos presos por criticar Olimpíada na China

Três freiras dois monges tibetanos estão presos desde maio de 2005, na província de Gansu, no norte na China, por terem protestado contra a realização dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, enquanto não for concretizada a independência do Tibet, informou o grupo independentista Free Tibet Campaign em seu site.Duas das freiras, Tadrin Tsomo e Choelyi Drolma, e um dos monges, Dargye Gyatso, foram condenados a penas de três anos de prisão enquanto a terceira freira, Yonten Drolma, e o segundo monge, Jamyang Samdrub, deverão permanecer 18 meses na prisão.A escolha de Pequim como sede dos Jogos Olímpicos de 2008 serviu às organizações pró-direitos humanos para estimular suas campanhas de conscientização sobre a realidade chinesa.Segundo o diário tibetano "Phayul", no domingo passado cerca de 300 tibetanos e pessoas comprometidas com a causa tibetana fizeram uma manifestação pacífica em Turim, onde serão realizados os Jogos Olímpicos de inverno, para mostrar seu descontentamento com a realização dos Jogos em Pequim.O Tibet está sob controle chinês desde 1950, quando o Exército Popular de Libertação ocupou a região, e o Dalai Lama está no exílio na Índia, desde 1959, depois do fracasso de uma tentativa de levante.Embora a China considere o Tibet como uma Região Autônoma, são muitas as vozes que asseguram que os tibetanos não gozam de uma autonomia real, entre elas a do próprio Dalai Lama, que embora tenha renunciado à independência do Tibet, continua sem poder retornar à China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.