Renato Portela é o representante do Brasil em prova de tiro esportivo no Rio-2016

Renato Araújo Portela, de 52 anos, será o representante do Brasil na prova de skeet do tiro esportivo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Com a 83ª colocação do Campeonato Mundial, que se encerrou nesta quinta-feira, em Lonato (Itália), ele venceu a corrida olímpica proposta pela Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE).

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2015 | 17h13

De qualquer forma, ele é o único brasileiro que poderia fazer jus ao convite recebido pelo país-sede para o skeet. A Federação Internacional de Tiro (ISSF, na sigla em inglês) determinou um índice técnico mínimo que todos os atiradores olímpicos precisam alcançar. E, no Brasil, só Renato fez isso.

Durante o Campeonato das Américas do ano passado, ele acertou exatamente os 114 pratos necessários para se qualificar para a Olimpíada. Na ocasião, foi apenas o 23º colocado. Mas os outros brasileiros não têm o mesmo nível técnico. Nem José Pedro Costa nem Luciano Pereira, concorrentes de Renato, alcançaram sequer 110 pratos acertados. Por isso, nem pontuaram na corrida olímpica brasileira, que considerava um ponto a cada prato atingido acima de 110.

Renato fez 113 na etapa de Gabala (Azerbaijão) da Copa do Mundo e repetiu o resultado no Mundial de Lonato. Na Itália, seus dois concorrentes fizeram 108 pontos, apenas.

Assim, fica definida a equipe brasileira que vai participar dos Jogos Olímpicos do Rio no tiro ao prato, por convite: Robert Schmits (fossa olímpica), Janice Teixeira (fossa olímpica), Renato Portela (skeet) e Daniela Carraro (skeet). Nas duas provas femininas, não havia outras concorrentes.

Na fossa double masculina, a outra prova do tiro ao prato, o Brasil não conseguiu a classificação pelos critérios usuais, ainda que o desempenho no Mundial tenha sido bom. Jaison Santin ficou em 26º lugar, enquanto Luiz Fernando Graça terminou em 32º e Felipe Fuzaro em 43º. Fuzaro esteve na última Olimpíada e foi 17.º colocado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.