Renovado, Corinthians quer reagir na Bahia

Com Renato Augusto e Pato, Tite espera começar a recuperar pontos perdidos

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2013 | 02h06

No recomeço do Campeonato Brasileiro, vem um novo Corinthians. Esse time, mais jovem, com Renato Augusto e Alexandre Pato, busca recuperar o terreno perdido a partir de hoje contra o Bahia, na Arena Fonte Nova.

Os seis pontos conquistados nas cinco primeiras rodadas tornam mais que necessária uma vitória, apesar de todos os problemas que Tite enfrenta - a saída de Paulinho e as lesões.

Nada menos que cinco "veteranos" estão fora do jogo desta tarde: Alessandro, Paulo André, Danilo, Douglas e Emerson Sheik - os três últimos vão parar por três semanas. E foi esse panorama que deu a Tite a chance de manter Edenílson na lateral-direita, promover o retorno de Renato Augusto e alçar Pato à condição de titular.

Renato Augusto provou, contra o São Paulo, pela Recopa, que tem lugar cativo no meio de campo. E Pato, vai "desabrochar", como disse o presidente Mário Gobbi? Tite aposta que sim. E espera, a partir de hoje, resgatar o futebol de Pato, que vai atuar numa faixa de campo que relembra seus melhores momentos pelo Milan. Pelo menos essa é a ideia do treinador.

Pato vai jogar pelo lado esquerdo do ataque, caindo na diagonal, usando a velocidade. A busca é por Guerrero, o centroavante. Tite quer Pato jogando dessa forma. "Ele já jogou ali, e ele sente bem", disse o treinador, que ainda defende a tese de que Pato passa por um período de adaptação, mas que já vê evolução de desempenho.

"O Pato já atuou mais vezes este ano que ano passado, já marcou mais gols que em 2012, ele está retomando um padrão. Não somos mágicos."

Como Emerson, que machucou o joelho esquerdo, não retorna ao time antes da final da Recopa, dia 17 de julho, e talvez nem jogue a decisão no Pacaembu, Pato terá condição de emplacar uma sequência para conquistar de vez um lugar no time.

Na outra ponta do ataque estará Romarinho. Esse é o trio ofensivo que enfrenta o Bahia. E isso é algo que Tite não abre mão, o esquema 4-2-3-1.

No meio de campo, Ralf terá ao lado Guilherme e Renato Augusto, um meia mais "marcador" que Danilo e Douglas. O meio ganha em "pegada" - Ibson fica no banco como opção.

Tite tem insistido nos treinos para que Guilherme tenha liberdade como tinha Paulinho. As saídas de bola pelo lado direito são com ele, trabalhando as jogadas com Edenílson.

Na defesa, Chicão, que discute renovação de contrato, volta à zaga no lugar de Paulo André, vetado pelo departamento físico - havia risco de lesão. Hoje, o time estreia novo uniforme, a camisa azul, em referência ao dia em que o Corinthians representou a seleção brasileira, num amistoso contra o Arsenal, em Londres, no dia 16 de novembro de 1965.

Bahia. Cristóvão Borges aproveitou a pausa no Brasileirão para conhecer melhor o elenco do Bahia - ele havia sido contratado dias antes do início da competição. Contra o Corinthians, seu time terá muitas mudanças em relação à escalação das primeiras rodadas. O que não muda é o sistema de jogo, com três volantes e dois meias. Na frente, Fernandão será a referência na área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.