João Prata/Estadão
João Prata/Estadão

Reorganização em cima da hora das provas no Parapan faz Brasil rever projeção de medalhas

Diretor do Comitê Paralímpico Brasileiro disse que diariamente chegam mudanças por causa da falta de competidores

João Prata, enviado especial a Lima, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2019 | 21h17

O diretor técnico do Comitê Paralímpico Brasileiro, Alberto Martins, se mostrou nesta quarta-feira preocupado com a organização das provas nos Jogos Parapan-Americanos de Lima. Por causa do número de inscritos e das novas classificações, diariamente tem ocorrido alterações na programação. O dirigente afirmou que por isso esperará o início das competições para fazer nova projeção do número de medalhas.

"Todos os dias chegam atualizações de provas, cronogramas... Ainda não refizemos a projeção. Vamos aguardar o início para a gente poder fazer essa projeção", afirmou. "A junção de classes, decorrente do número de atletas, faz com que sejamos os maiores prejudicados, porque somos o País que traz delegação para competir como todo", prosseguiu. 

Um dos que devem ser sentir a mudança é o judoca Antônio Tenório da Silva, um dos atletas mais vitoriosos da delegação. O judô em Lima juntou a categoria do brasileiro, acima de 100kg, com a de até 100kg. "A gente sente muito porque ele é um ícone do esporte, atleta de renome internacional. Não é qualquer um. Mas ele é também um atleta que se pode esperar qualquer coisa, em qualquer peso", disse Alberto.

Tenório tem quatro medalhas de ouro paralímpicas e no último Parapan, de Toronto-2015, terminou com o bronze. Quem também deve ter um novo cronograma são os atletas da natação. O Comitê Paralímpico Brasileiro ainda não tinha consolidado todas as mudanças. Alberto informou que a participação de alguns atletas será repensada.

"O número de medalhas deve cair pela junção da casse e pelo cancelamento de provas. Na natação terá provas que não vão medalhar por não ter muitos competidores. Vai contar só para aferição, contagem de tempo. Estamos avaliando se valerá a pena a participação nessas provas", afirmou. 

A cerimônia de abertura dos Jogos Parapan-Americanos de Lima acontecerá na sexta-feira. Nesta quinta-feira, no entanto, começam as competições do tênis de mesa. O Brasil está na capital peruana com sua maior delegação da história. São 512 pessoas, sendo 337 atletas.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Parapan-Americanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.