Representantes de esportes repudiam ataque de dirigente olímpico de peso ao COI

As principais federações esportivas podem sobreviver sem o "guarda-chuva" da SportAccord após o seu presidente se comportar como um "ditador" em seu duro ataque ao Comitê Olímpico Internacional (COI), disse o comandante da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), Lamine Diack, nesta terça-feira.

Estadão Conteúdo

21 Abril 2015 | 12h09

A IAAF deixou o encontro da SportAccord, a Associação Geral das Federações Esportivas Internacionais, depois de Marius Vizer criticar o COI e seu presidente, Thomas Bach. Com o dirigente alemão presente, Vizer acusou o comitê de ser pouco transparente, ignorando as federações e bloqueando seus planos para novas

competições multiesportivas.

A Federação Internacional de Tiro internacional também se retirou da SportAccord, que representa as federações olímpicas e não olímpicas. Outras federações também consideram seguir o exemplo.

Diack disse nesta terça-feira que Vizer, que também é presidente da Federação Internacional de Judô, se assemelhava a "um chefe ou ditador vindo do nada", dizendo o que importantes federações esportivas devem fazer.

Os principais esportes não precisam necessariamente da SportAccord para representá-los, porque "já estamos organizados" em outras associações que não têm uma figura presidencial fazendo política, disse Diack. Há espaço para uma entidade maior, como a SportAccord, declarou o presidente da IAAF, "mas deve ser uma organização em que, acho, todo mundo sabe que estamos no mesmo nível".

Outro ponto de discórdia foi um plano anunciado por Vizer para as federações unirem os seus campeonatos mundiais através de único evento organizado pela SportAccord, uma clara ação para se opor aos Jogos Olímpicos. Diack disse que isso iria usurpar o poder das federações individuais.

"O cavalheiro (Vizer) estava reclamando, estava dizendo que ele vai organizar os campeonatos mundiais de todos os esportes. Então eu digo: ''O que? Eu vou desaparecer?''".

Junto com a IAAF, pelo menos 14 presidentes de federação, incluindo Joseph Blatter, da Fifa, assinaram cartas de protesto aos comentários de Vizer. E dirigentes influentes, como o presidente da Federação Internacional de Natação (Fina) saíram em defesa de Bach. "O presidente Bach tem o apoio total de todos nós sobre o que está fazendo".

Maglione disse também que um racha foi aberto entre o comando da SportAccord e muitas federações pela decisão de Vizer de organizar os primeiros Jogos de Praia em Sochi em 2019. Para o dirigente da natação, o evento deveria ser gerido pela Associação Nacional de Comitês Olímpicos e acontecer na Ásia ou no Uruguai.

Mais conteúdo sobre:
SportsAccordOlimpíadacriseCOI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.