Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Reservas dão conta do recado

Corinthians vence Santo André, no ABC, com dois gols de cabeça, de Paulo André e Edno, e agora vai encarar o Oeste

Anelso Paixão, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2011 | 00h00

O jogo de ontem contra o rebaixado Santo André, no ABC, com um time só de reservas, mais do que definir a classificação corintiana, serviu para o técnico Tite saber com quem poderá contar na reta final do Campeonato Paulista e, principalmente, no Campeonato Brasileiro a partir de maio.

E o treinador deve ter ficado satisfeito com o que viu. Na vitória por 2 a 0, que garantiu a 3.ª colocação do Corinthians e o direito de enfrentar o Oeste no Pacaembu na próxima fase, alguns reservas mostraram serviço.

O zagueiro Paulo André voltou de quase seis meses de inatividade por causa de uma cirurgia no joelho marcando gol em sua especialidade: a bola aérea. Fez de cabeça 1 a 0, aos 21 minutos do primeiro tempo.

O meia Bruno César, que já está negociado com o Benfica e vai embora no meio do ano, mostrou qualidade no toque de bola, funcionando como autêntico meia, e ainda apareceu várias vezes para finalizar.

Danilo também se saiu bem no meio-campo, ajudando na marcação e formando boa dupla com Bruno César. Ramirez foi outro que se destacou no toque de bola, William teve boa movimentação na frente - fez o cruzamento para o gol de Paulo André -, Edno, apesar dos muitas chances perdidas, marcou um gol, e os laterais Moacir e Marcelo Oliveira conseguiram se apresentar bem no ataque, apesar de se enrolarem com a bola na maioria das vezes.

O resultado, de certa forma, acabou facilitando a vida do time para a sequência da competição. O gol de Edno aos 43 minutos do segundo tempo, de cabeça, após cruzamento de Bruno César, fez o Corinthians manter a vantagem sobre o Santos no saldo de gols. Isso o levou a escapar do confronto contra a Ponte Preta, teoricamente um adversário mais difícil, que, aliás, venceu o Corinthians em pleno Pacaembu nesta fase de classificação, para encarar o Oeste, de Itápolis, a quem venceu por 3 a 0 no mesmo palco.

Ao final da partida, o sinal de alívio era evidente em todos que tiveram ontem uma chance que podia ser a derradeira. "Acho que ganhei alguns pontos sim (com o técnico Tite). Era importante uma boa partida porque estou voltando de um longo período de inatividade. A boa marcação do ataque ajudou o trabalho nosso lá atrás", comentou Paulo André, um zagueiro que sempre acaba se transformando em boa opção ofensiva pela facilidade no jogo aéreo.

"Acredito que todos nós (os reservas) mostramos potencial. Fico feliz por ter contribuído com o gol e pela participação em vários lances", comemorou Edno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.