Respaldado por Juvenal, Rivaldo mantém as críticas

''Ele (Carpegiani) tinha um não jovem, mas não era eu que tinha que colocá-lo em campo'', disse o presidente

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2011 | 00h00

No desembarque em São Paulo, na manhã de ontem, Rivaldo não mudou uma vírgula nas fortes declarações que havia dado sobre Carpegiani na véspera. Único jogador que concedeu entrevista na tumultuada chegada da equipe, o craque de 39 anos reafirmou que se sentiu humilhado por não ter tido chance de entrar em campo na eliminação diante do Avaí, em Florianópolis.

Respaldado pela diretoria e apoiado pela torcida, o meia aproveitou para rebater mais uma vez o técnico, que, irritado com as críticas, chegou a questionar o caráter do pentacampeão mundial. "Ele falou sobre o meu caráter, não é? Todo mundo conhece meu caráter, não só aqui no Brasil. Ninguém tem o que falar. Eu sou um jogador com uma história limpa no futebol", afirmou Rivaldo. "Tudo o que eu disse está mantido, não preciso falar mais nada. Perder, ficar no banco, aquecer, desaquecer. Realmente, eu me senti humilhado com aquela situação."

Costas quentes. O presidente Juvenal Juvêncio não hesitou em dar razão ao jogador. O dirigente criticou Carpegiani pela opção de não colocar Rivaldo no segundo tempo, quando o time perdia por 3 a 1. O que mais irritou Juvenal foi ouvir do treinador que sua equipe era jovem e, por isso, não soube superar o momento adverso durante o jogo.

"Ele tinha um não jovem no elenco, mas não era eu que tinha que colocá-lo em campo", disparou o presidente, que desembarcou juntamente com os atletas. "A convivência dos dois no mesmo barco fica inviável", reconheceu o dirigente, reforçando sua posição de que sua escolha era pela demissão do treinador.

A saída de Carpegiani fortalece a posição de Rivaldo, que chegou ao clube por indicação de Rogério Ceni. No início do Campeonato Brasileiro, ele deve ter mais espaço para provar que realmente Carpegiani estava errado ao deixá-lo apenas como opção no elenco são-paulino. O meia não inicia um jogo desde 17 de abril, quando o time empatou com o Oeste (1 a 1) no Estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.