Revezamento inicia luta por final

A equipe do revezamento 4 x 100m masculina tem duas importantes medalhas de prata, ganhas na Olimpíada de Sydney, em 2000, e no Mundial de Paris, em 2003 (a Inglaterra foi desclassificada por doping e o Brasil, que tinha o bronze, ganhou a posição). Mas o time que corre neste Mundial de Atletismo de Helsinque, na Finlândia, é bem diferente. Contusões e um obrigatório processo de renovação, trouxeram velocistas jovens - com os índices exigidos, mas sem experiência - como Jorge Célio, de 20 anos, Bruno Pacheco, 22, e Basílio Moraes, 23. A preliminar do revezamento será nesta sexta-feira, às 13 horas (horário de Brasília). A final, no domingo, para as oito melhores seleções. O Brasil disputará a primeira série com Estados Unidos, França, Austrália, Jamaica e Finlândia. Escalada por Jayme Neto Jr., a equipe terá Cláudio Roberto Souza, Bruno Pacheco, Basílio Moraes e André Domingos. O técnico só pode definir essa equipe e as posições dos corredores, a partir dos últimos treinos. Vicente Lenílson se machucou. As sucessivas lesões também afastaram Edson Luciano da temporada. A renovação tirou Claudinei Quirino do grupo - o atleta despediu-se após o último Troféu Brasil. Claudinei já não havia disputado o Mundial de Paris (o time teve Claudio Roberto Souza, Vicente Lenílson, André Domingos e Edson Luciano), mas estava em Sydney, com André, Edson e Lenílson. "Trinidad e Tobago, Nigéria, Estados Unidos, Inglaterra e Jamaica são equipes que, atualmente, estão na nossa frente. Estamos renovando, para 2007 e 2008. Se esse grupo for à final será ótimo", afirma o técnico Jayme Netto Jr., descartando chances de medalha para o Brasil, diferentemente do Mundial de Paris. A posição de Jayme tem explicação. André Domingos, principalmente, mas Bruno Pacheco e Basílio Moraes também, não tiveram boa performance individual nos 200 m. A lesão de Lenílson, na véspera do início do Mundial, ainda deixou Jayme com um problema adicional: decidir a ordem entre os corredores. "Vicente seria o primeiro homem da equipe, abrindo o revezamento. André fecharia. E eu tinha dois para as curvas e dois para as retas. Com a saída dele, tudo se complicou". O revezamento 4 x 100m feminino disputou apenas um Mundial, em Atenas (1997), em dez edições da competição. Definida pelo técnico Katsuhyco Nakaya, a equipe terá Raquel Costa, Lucimar Moura, Thatiana Ignácio e Luciana Santos. A preliminar da prova será nesta sexta, às 15h05 (horário de Brasília). "É uma equipe boa, embora a Raquel e a Thatiana sejam jovens e disputem seu primeiro Mundial (Thatiana foi duas vezes finalista nos 100m em Mundiais Juvenis - em Santiago 2000 e Kingston 2002)", ressaltou Nakaya, que foi finalista olímpico no 4 x 100m nas Olimpíadas de Moscou (1980) e Los Angeles (1984).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.