Rexona vence o Finasa em Osasco

O jogo não valia nada - as duas equipes já estavam com a situação definida na tabela de classificação da Superliga Feminina de Vôlei. Mas era cercado de rivalidade por reunir dois técnicos campeões olímpicos - José Roberto Guimarães, pelo Finasa/Osasco, e Bernardo Rezende, o Bernardinho, pelo Rexona-Ades - e os dois melhores times da Superliga. O grupo comandado por Bernardinho venceu o último jogo da fase de classificação do torneio por 3 sets a 1 (25/22, 25/23, 23/25 e 26/24) e terminou o turno e returno da Superliga invicto, com 16 vitórias em 16 jogos. Foi a 30.ª vitória de Bernardinho (Superliga, Salompas Cup e Campeonato Carioca) como técnico do time. Apesar da vitória, Bernardinho - que gesticulou muito, quase rasgou a camiseta de tanto puxar, chutou o banco e mordeu o dedo - deu nota seis para as meninas do Rexona. "O time foi mais ou menos. Eu quase perdi hoje", afirmou, sobre sua invencibilidade. "Mas isso não quer dizer nada. Agora começa o playoff e tudo está zero a zero." O técnico acha que seu time se sente um pouco pressionado pela invencibilidade. "Isso pesa um pouco sobre as jogadoras." A atacante Sassá observa que a equipe nunca pode entrar em quadra jogando a menos de cem por cento. "Isso gera uma enorme responsabilidade", acentua Sassá. O técnico José Roberto Guimarães disse que o time do "lado de lá está certinho", elogiando o Rexona e ficou muito contrariado quando teve de responder a um repórter sobre ter perdido o quarto jogo para Bernardinho na temporada, duas partidas na Salompas Cup e duas na Superliga. "Ele é bem melhor como técnico. Os melhores sempre vencem", ironizou. No fim de semana começam os playoffs das quartas-de-final, uma série melhor-de-três partidas. O Rexona, que terminou em primeiro, enfrenta o Sesi Esportes (MG), o oitavo. O Finasa/Osasco, segundo, enfrenta São Caetano, sétimo. O Brasil Telecon vai jogar com o Oi Campos e o Pinheiros com o MRV/Minas.

Agencia Estado,

22 de fevereiro de 2005 | 23h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.