Riamburgo atende a chamado do deserto para ir ao Dakar

Há 22 anos no esporte a motor - com corridas de moto, bugue e carro -, o piloto cearense Riamburgo Ximenes, de 40 anos, embarcou nesta segunda-feira para a maior aventura de sua vida, o Rally Dakar. Ao seu lado no carro, terá o experiente navegador Lourival Roldan, que já participou de três edições da prova e concluiu todas.Apaixonado pelas provas cross-country, "pelo desafio de não saber o que vem pela frente", Riamburgo é conhecido no mundo dos ralizeiros como o "rei da areia". Enquanto a maioria dos pilotos teme as dunas do deserto, Riambrugo anda seguro na areia. "O maior prazer da minha vida é andar na areia", diz o empresário.O sonho de correr o Dakar surgiu em 1999, quando Riamburgo venceu a categoria Geral do Rally dos Sertões, o maior da América Latina. De lá para cá, todo dinheiro que ganhou com o rali ele começou a guardar e aplicar para investir na maior prova do gênero no mundo.Já foi ao deserto do Saara três vezes. Não como competidor, mas com carro de passeio - 4x4, claro -, para fazer contatos com outras equipes e entender mais sobre a logística da prova. "Você tem de se preparar bastante, porque a prova já é uma aventura. Duas aventuras não combinam", acredita. Na preparação, Riamburgo inclui musculação e corrida.Ao acompanhar a prova de perto, ele ficou extasiado. "Dizem que quem vai pela primeira vez ao Dakar recebe um chamado do deserto O lugar tem energia fantástica."Seu plano para correr a prova era para o ano passado. Mas ele perdeu o prazo de inscrição porque estava negociando com patrocinadores e equipes. Esse ano, se inscreveu no dia 1.º de junho - uma semana depois, não havia mais vaga. "Com ajuda dos meus patrocinadores e com o dinheiro que tinha guardado, garanti a minha inscrição. Está tudo pago para evitar estresse."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.