Ribéry e Benzema são indiciados por prostituição infantil

Jogadores da seleção francesa pagaram por sexo com menor de idade em 2008 e 2009. Pena pode chegar a 3 anos

, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2010 | 00h00

PARIS

Os jogadores franceses Franck Ribéry, meio-campo do Bayern de Munique, e Karim Benzema, atacante do Real Madri, foram indicados ontem por terem manter relação sexual com Zahia Dehar, uma prostituta que, na época, era menor de idade. Os dois jogadores ficaram retidos na delegacia por sete horas prestando depoimento. Ambos devem aguardar as investigações em liberdade, mas podem ser chamados novamente para depor sobre o caso.

O primeiro encontro com a garota teria ocorrido em 2009 com Ribéry e, em 2008, com Benzema. Outro jogador da seleção francesa, Sidney Govou, do Lyon, também teria mantido relações com ela, em 2010, quando a prostituta já tinha mais de 18 anos.

Se condenados, Ribéry e Benzema podem pegar até 3 anos de prisão, além de pagar multa de US$ 58 mil (R$ 102,6 mil). A defesa diz que eles não sabiam que a prostituta tinha menos de 18 anos quando os dois a conheceram num local de Paris chamado Zaman Café, localizado numa zona central da capital, perto do Champs Elysée. O ponto foi fechado pela polícia depois da descoberta de que ali funcionava uma rede de prostituição infantil.

A polícia havia adiado as investigações para permitir que os jogadores defendessem a França no Mundial. Mas, depois da desclassificação, das brigas internas e da dimensão política que o vexame na Copa alcançou, a Justiça retomou os trabalhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.