Ricardinho quer ser titular mais 13 anos

Na seleção, e como titular, por mais 13anos ? brinca o levantador Ricardinho, mas falando a verdadesobre o seu desejo de seguir no comando do vôlei do Brasil,assim como Maurício, que manteve uma titularidade que durou umadécada e meia. O jogador iniciou a temporada de 2003 contratadopara o lugar de Maurício no Telemig Celular/Minas, hoje a equipeque concentra três dos cinco integrantes da seleção quepermanecem atuando no País (os sete restantes estão noexterior). Sem opções no Brasil, Maurício mudou para um clube italiano.Depois perdeu o lugar de titular na seleção para Ricardinho, noprimeiro jogo da Liga Mundial, em São Paulo. Ricardinho afirma que todo mundo sempre pergunta sobre a suarelação com Maurício. "Muito tranqüila, normal", afirma. Suabriga com o companheiro-rival não é pessoal, mas sim numacompetitividade que o trabalho exige. "Fechei a temporada feliz, sabendo que estou cada vez maisassegurando minha posição ? que eu corri atrás ? de titular.Enquanto estiver com o osso na boca não vou largar. Corri atrásda posição de titular, não há porque me omitir ou ser hipócritade dizer que não. Em 14 anos ninguém tinha conseguido tirar oMaurício da posição...Eu consegui e quero permanecer nela... Bom um ano já foi. Faltam mais 13 anos agora", afirma Ricardinho,referindo-se ao tempo de tiularidade de Maurício. Quando iniciou, tinha o sonho de ser da seleção. Depois, deestar entre os 12 convocados para os torneios importantes, eentão, de ser o titular. "O atleta que quer algo a mais temsempre de correr atrás de um objetivo. Eu não sonhava com fazerparte da história do vôlei, mas sim em fazer parte da seleção."Quando começou tinha o William como "espelho" e, em seguida, opróprio Maurício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.