Ricardo Gomes já mostra métodos diferentes

Muita conversa, com o grupo e individualmente, o que mais tem chamado a atenção dos jogadores por enquanto

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

26 de junho de 2009 | 00h00

Técnico diferente, métodos completamente distintos. Em dois dias de São Paulo, o técnico Ricardo Gomes realizou treinamentos dos quais o seu antecessor, Muricy Ramalho, não era muito adepto. Ontem, fez um coletivo de titulares contra reservas. E praticamente já definiu o time que vai enfrentar o Náutico, amanhã, no Morumbi.Denis; Zé Luís, Renato Silva, Jean Rolt e Junior Cesar; Eduardo Costa, Richarlyson, Hernanes e Marlos; Borges e Washington. Esta é a cara que o São Paulo terá, ao menos na próxima partida. O volante Jean, homem de confiança de Muricy, terá de esperar nova oportunidade. Jorge Wagner seguirá no banco de reservas. André Dias está suspenso.O novo treinador escolheu o time e conversou individualmente com cada um dos novos titulares. "Ele tem explicado o que quer em campo e deixa os atletas até certo ponto menos preocupados porque agora a gente já sabe quem vai jogar", disse o volante Richarlyson.Muricy não gostava muito de conversa. "Essa troca a gente até estranha. É uma coisa nova, importante para que os jogadores façam logo o que o novo treinador quer", explicou o volante. "Ainda não fizemos um jogo com Ricardo, mas já deu para ver que ele é bem mais tranquilo que o Muricy." Ricardo Gomes coloca muita fé em Richarlyson, que passa de curinga de Muricy a figura importante no novo meio campo. "Em termos táticos, tem muitas coisas diferentes. Ele (Ricardo Gomes) até brincou: ?É muita informação para poucos dias?", contou Richarlyson, que soube do interesse do treinador em levá-lo para o exterior no passado. "Ele me disse que queria que eu jogasse no Bordeaux em 2007."Ao lado de Richarlyson, vai estar Hernanes, que também precisa recuperar o bom futebol mostrado nos últimos dois anos e deixado para trás nesse início de temporada. "Isso (a má fase) acontece com todo grande jogador", minimizou o treinador. "O Hernanes tem uma cabeça muito boa. É um período difícil, mas ele vai voltar a jogar bem logo." Os dois terão responsabilidade defensiva e liberdade para atacar no novo esquema a exemplo do que faziam no título brasileiro de 2007. "Naquele ano ganhamos prêmios individuais e o São Paulo foi campeão brasileiro. É isso que queremos outra vez", lembrou Richarlyson.O primeiro treino coletivo (vencido pelos reservas por 1 a 0) durou 40 minutos. Mas teve um ritmo forte. Richarlyson deu uma entrada dura em Jean e Hugo se chocou com Eduardo Costa. "Empenho é o que a nossa situação pede", afirmou Jean Rolt.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.