Ricardo Gomes já pensa na segunda-feira

Técnico teme por reação do grupo após duelo com Santos no domingo. São Paulo decide futuro na Libertadores na quarta

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

Frustração ou euforia. Um desses dois sentimentos estará explícito na fisionomia dos jogadores do São Paulo na segunda-feira, após decisão de uma vaga na final com o Santos. O dia seguinte ao clássico de amanhã preocupa o técnico Ricardo Gomes. Tanto uma sensacional reversão da vantagem santista - os rivais venceram o primeiro jogo por 3 a 2 - quanto uma eliminação no Campeonato Paulista vão influenciar no desempenho do time diante do Once Caldas, quarta-feira, pela Taça Libertadores. E todo mundo sabe no Morumbi que esse jogo da competição continental é o mais importante da temporada até aqui.

O técnico conversa com os jogadores desde o início da semana para que não haja excessos. "Não podemos ficar muito abatidos nem tão felizes depois do resultado diante do Santos. Temos de encarar a partida com normalidade", diz Ricardo Gomes, tentando convencer seus comandados a manter o foco.

"Nós trabalhamos muito para acabar essa fase de grupos da Libertadores em primeiro lugar na Chave 2. Não podemos deixar um resultado do Campeonato Paulista nos atrapalhar. O jogo de quarta-feira é a nossa prioridade."

O problema é que os são-paulinos parecem dispostos a matar ou morrer na Vila Belmiro. Hernanes ficou horas a mais trabalhando cobranças de faltas durante a semana. A defesa ensaiou jogadas e aperfeiçoou o posicionamento para conseguir fazer com que o Santos acabe a primeira partida da temporada sem marcar gol. E os amigos Fernandinho e Dagoberto treinaram rápidas trocas de passes no ataque veloz que Ricardo Gomes pretende colocar em campo amanhã.

"É uma questão de caráter e honra. Aqui no São Paulo só temos jogadores experientes. A gente vai lá para a Vila para vencer", discursa o zagueiro Alex Silva, considerado um dos principais jogadores da equipe pelos dirigentes são-paulinos. "Já saímos de situações piores. Na minha cabeça, sinto que nós vamos ganhar."

Mas o defensor atenta para o risco que Ricardo Gomes alertou: será quase impossível evitar a decepção em caso de nova derrota - a sexta na temporada - em dérbis. "Esta coisa de não vencermos clássico incomoda bastante. Já entramos em campo com este peso. Mas o jejum vai acabar agora", garante o zagueiro, que não se furta a projetar exatamente a segunda-feira que o técnico quer evitar. "Sairmos classificados da Vila vai nos dar muita confiança para o jogo contra o Once Caldas. Se perdermos, vamos ter de recuperar a motivação."

Sem cartões. Ricardo Gomes também procura evitar uma rotina nos três clássicos recentes: as expulsões. "Isso influenciou nos últimos três jogos, então precisamos ter muito cuidado", explica o técnico. "Falta é o último recurso, é erro. Não podemos exagerar no erro. Acho que, se tivermos posicionamento melhor, vamos diminuir os cartões."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.