Ricardo Oliveira: trunfo no sonho de Libertadores

Uma vitória hoje contra o Goiás intensifica uma espécie de "missão Libertadores" do São Paulo. É o principal objetivo tricolor na temporada e nem a diminuição das vagas para o torneio via Campeonato Brasileiro parece abalar os são-paulinos - que participaram das últimas sete edições da competição.

, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2010 | 00h00

"Com todo o respeito, mas a Libertadores ficaria até sem graça sem o São Paulo", afirma Alex Silva, que sonha em conquistar o título da competição antes de voltar para a Europa, em agosto de 2011, quando acaba seu empréstimo junto ao Hamburgo.

Mas, hoje, a situação do São Paulo não é nada cômoda. Está a 10 pontos do Cruzeiro, último time que se classificaria à Libertadores depois que a Conmebol tirou uma vaga do Brasil. Os jogadores que estavam na conquista do Brasileiro de 2008, quando a equipe estava 11 pontos atrás do líder, tentam fazer os outros acreditarem.

"Para todos aqui seria um fracasso (não obter a classificação à Libertadores)", admite Ricardo Oliveira, principal esperança de gols hoje. "Aqui é o São Paulo. Ninguém está acostumado com uma situação dessas. Vamos olhar para a história deste clube, ver o que conquistou. Temos tudo a nosso favor. Gostaria de falar que vamos brigar pelo título, mas nossa realidade é outra. Vamos por etapas."

A primeira medida do São Paulo para sair do Morumbi com a vitória sobre o Goiás já foi tomada pelo técnico Sérgio Baresi: escalar Ricardo Oliveira. O centroavante tem um histórico impressionante: o time jamais perdeu quando ele fez gol.

São dez gols, contabilizando as duas passagens do atacante pelo clube - jogou seis meses na equipe em 2006. Nos oito jogos que o artilheiro conseguiu bater os goleiros adversários, apenas um empate (diante do Cruzeiro, 2 a 2, no primeiro turno do Brasileiro). As outras sete partidas terminaram com triunfo tricolor.

Todos os gols de Ricardo Oliveira pelo São Paulo foram feitos no Morumbi. Superstição que pode dar alento para os torcedores irem ao estádio hoje. "Estou feliz por voltar ao Morumbi . Fazer um gol importantíssimo, que garanta a vitória, vai me deixar mais feliz ainda."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.