Richarlyson, de saída do São Paulo, ofendeu juiz

A expulsão desnecessária contra o Fluminense significou o fim da linha para Richarlyson no São Paulo. Para complicar sua situação no clube, o jogador ainda teria xingado o árbitro de "viado", segundo relatou Héber Roberto Lopes na súmula da partida contra o Fluminense. A expulsão foi no segundo tempo, quando o jogo estava 1 a 1.

, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2010 | 00h00

O presidente Juvenal Juvêncio se reuniu ontem com o vice-presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes e ficou decidido que o clube não vai fazer oferta de renovação.

O volante será liberado pelo São Paulo tão logo acabe o seu contrato, em 31 de dezembro. Os dirigentes avaliaram que é o momento de Richarlyson, que chegou ao Morumbi em 2005, respirar novos ares. Fluminense e Botafogo já fizeram proposta, enquanto o Palmeiras procurou o seu empresário, Julio Fressato, mas desistiu de dar início à negociação.

A diretoria decidiu também que Richarlyson será multado em 20% do salário pela terceira expulsão no Campeonato Brasileiro - foram quatro no ano. Ele já havia recebido o cartão vermelho contra Avaí e Santos.

O lateral pode ser enquadrado no artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que fala em ofensa. A pena varia de uma a seis partidas.

Reforços. O volante Rodrigo Souto (dores nas costas) e os atacantes Dagoberto (contratura na coxa esquerda) e Fernandinho (edema ósseo na perna direita) treinaram ontem, o que deve ocorrer hoje também com o atacante Ricardo Oliveira (tendinite no joelho esquerdo). Os quatro jogadores podem voltar contra o Atlético-GO, domingo, em Goiânia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.