Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Rio 2016 e Correios assinam contrato para operação logística

Pelo acordo, caberá à estatal brasileira o transporte de todo tipo de encomenda, produtos e equipamentos necessários para a Olimpíada

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

30 de janeiro de 2015 | 17h17

O Comitê Rio 2016 e os Correios assinaram nesta sexta-feira um contrato para a operação logística dos Jogos Olímpicos do próximo ano. Pelo acordo, caberá à estatal brasileira o transporte de todo tipo de encomenda, produtos e equipamentos necessários para a Olimpíada. O Comitê pagará cerca de R$ 188 milhões pelo serviço.

Pelo acordo, os Correios farão o transporte desde bolinhas de tênis e petecas até camas e sofás, passando pela bagagem de atletas e equipamentos esportivos. A estimativa é que sejam transportadas um milhão de encomendas. A diversidade de produtos foi uma das razões que levaram a estatal a participar da concorrência internacional aberta pelo Comitê Rio.

"Nós estamos num momento de transformação no setor postal no mundo todo, e a decisão do governo brasileiro é que os Correios têm de ampliar sua atuação, diversificar sua atuação no Brasil e até fora dele, e fortalecer o nosso negócio central de ser empresa de logística", disse Wagner Pinheiro de Oliveira, presidente dos Correios. "Correio é trabalho de logística no mundo todo. Nos últimos 200 anos entregávamos papel, agora vamos entregar copo, computadores, incluindo o trabalho dentro dos Jogos Olímpicos."

O acordo assinado nesta sexta estava previsto no primeiro contrato assinado entre as duas instituições, no início do ano passado. Na ocasião, os Correios se tornaram um dos patrocinadores oficiais dos Jogos Olímpicos, investindo R$ 300 milhões no Comitê Rio. A entidade, encarregada da operação dos Jogos, trabalha com um orçamento de R$ 7 bilhões. Para a operação logística, os Correios utilizarão três grandes armazéns. O maior deles, de 70 mil metros quadrados, está instalado em Duque de Caxias, na baixada fluminense. Os outros dois ficam no Rio: na Barra da Tijuca e em Deodoro.

A empresa contratará cerca de dois mil funcionários em regime temporário para atuar no trabalho de logística da Olimpíada, a um custo de R$ 37 milhões. Outros 200 funcionários do quadro da estatal já atuam na gestão do projeto. "Muitas das pessoas já trabalharam conosco durante o Pan de 2007", disse Pinheiro de Oliveira. Na ocasião, os Correios também cuidaram do trabalho logístico da competição, realizada no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.