Rio ainda sofre com indefinição de cinco sedes para 2016

RIO - A pouco mais de três anos para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, em 2016, ainda não estão definidos os locais de disputa de cinco modalidades: basquete, saltos ornamentais, esgrima, rúgbi e hóquei sobre grama. O Comitê Organizador Rio 2016 deveria ter submetido a definição final ao Comitê Olímpico Internacional (COI) no fim do ano passado.

Tiago Rogero, Agência Estado

19 de fevereiro de 2013 | 17h45

Duas indefinições no projeto olímpico já eram conhecidas: rúgbi e hóquei sobre grama. Esta semana, durante a visita da Comissão de Coordenação COI ao Rio, que termina nesta quarta-feira, foram reveladas as outras três.

A principal envolve um dos esportes mais populares da Olimpíada. O basquete, que inicialmente seria todo disputado no Parque Olímpico - o "coração" de 2016 -, na Barra da Tijuca, pode ter parte dos jogos (principalmente os da primeira fase) levados para Deodoro. Em troca, a esgrima seria disputada na arena do basquete, na Barra.

"Foi uma sugestão da Fiba (Federação Internacional de Basquete) para não sobrecarregar a arena, interessante também para levar mais público para Deodoro", disse o secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser Gonçalves. A mudança também agradaria à federação de esgrima, que solicitou a mudança de Deodoro para a Barra.

Outra possível alteração envolve os saltos ornamentais: a pedido da Federação Internacional de Natação (Fina), o Rio 2016 apresentou proposta de transferência do Parque Aquático Maria Lenk para uma arena temporária que será montada no Forte de Copacabana, que já vai receber as disputas de triatlo e maratona aquática. A Fina alegou que a piscina do Maria Lenk ficaria sobrecarregada com as provas de polo aquático, e pediu uma exclusiva para os saltos.

Como a estrutura será temporária, quem deve arcar com os custos é o Rio 2016. Se o COI aprovar, falta ainda um acordo com o Exército, a quem pertence o Forte de Copacabana. Em nota, o Comando Militar do Leste informou que "não existe, até o momento, compromisso relativo à competição de saltos ornamentais".

Rúgbi

 

O esporte, estreante em Jogos Olímpicos, seria inicialmente disputado em São Januário, mas o Vasco não apresentou a tempo o projeto de reforma. Depois, o Engenhão surgiu como possibilidade, mas durante a visita do COI, a prefeitura do Rio voltou a apresentar a proposta de reformar o Estádio Moça Bonita, em Bangu, para sediar as partidas de rúgbi.

Já o hóquei sobre grama, no dossiê de candidatura, aconteceria no Parque Olímpico. O Rio 2016 decidiu levar a modalidade para o complexo esportivo de Deodoro, na zona oeste, mas a federação internacional recusou. Permanece o impasse, mas nesta terça a presidente da Empresa Olímpica Municipal, Maria Sílvia Bastos, foi bem clara: "Lá (Parque Olímpico), não vai ser", garantiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio-2016COIvisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.