Rio assiste hoje a desfile de campeões

Engenhão recebe, a partir das 8h30, 4 atletas de ouro em olimpíadas

Bruno Lousada, RIO, O Estadao de S.Paulo

16 de maio de 2009 | 00h00

Maurren Maggi e mais quatro campeões olímpicos, de nacionalidades diferentes, formam, na linguagem figurada, uma seleção de ponta que vai "reinaugurar" hoje, a partir das 8h30, a moderna pista de atletismo do Engenhão - sem uso desde o Parapan-Americano de 2007. A saltadora brasileira dividirá a atenção do Grande Prêmio do Rio com outras estrelas do esporte, como Nelson Évora, Irving Saladino, Valerie Vili e Osleydis Menéndez - todos medalhistas de ouro em olimpíada.A competição vai reunir cerca de 150 atletas, entre eles 110 estrangeiros, de 33 países, com premiação total de R$ 520 mil. Promete ser rica em emoção e vale pontos para a final do Mundial de Atletismo, em setembro, na cidade grega de Tessalonica. Além disso, será uma oportunidade para que os participantes busquem as marcas de qualificação para o Campeonato Mundial, em Berlim, em agosto. A entrada para as provas de hoje é gratuita. Por isso, a expectativa da organização do evento é de que 30 mil pessoas assistam ao desfile de talentos."Podemos esperar uma disputa muito forte", disse Maurren Maggi, campeã no salto em distância em Pequim, citando a norte-americana Brittnei Reese e a brasileira Keila Costa como as principais adversárias. Nome mais ilustre do atletismo nacional, Maurren é a grande atração e todos os olhos do público vão se voltar para ela assim que pisar na pista.Depois de faturar o ouro na China, todo o favoritismo recai sobre a saltadora. "É uma responsabilidade a mais. Independentemente da colocação, quero mostrar a todos que estou bem", ressaltou Maurren. Campeão em Pequim no salto triplo, o português Nelson Évora é favorito para voltar ao alto do pódio. Mas pode ter a sombra do brasileiro Jadel Gregório. "Sei que vários adversários já estão competindo forte e será difícil derrotá-los."Ver a pista do Engenhão, aprovada pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), voltando a ser utilizada para competições alegra até quem toma conta dela. "É uma realização pessoal", vibrou Miguel Ângelo da Luz, coordenador de esportes olímpicos do Botafogo, clube que administra o estádio. Ele só tem uma preocupação: "Certamente, alguém vai se esconder para assistir mais tarde (às 18h30) ao jogo entre Corinthians e Botafogo (no próprio local). Vamos fazer uma varredura."Além de acompanhar Maurren e Évora, os espectadores vão conferir se o panamenho Irving Saladino (salto em distância), a neozelandesa Valerie Vili (arremesso de peso) e a cubana Osleydis Menéndez (lançamento do dardo) mantêm a performance que lhes rendeu o ouro olímpico - os dois primeiros em Pequim e Menéndez em Atenas/2004. E ainda tem Fabiana Murer no salto com vara. O QUE ELES DISSERAMMaurren Maggicampeã olímpica no salto em distância"Podemos esperar uma disputa muito forte. Independentemente da colocação, quero mostrar a todos que estou bem"Nelson Évoracampeão olímpico no salto triplo"Sei que vários adversários estão competindo forte e será difícil derrotá-los"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.