Rio cancela Copa do Mundo de natação por falta de dinheiro

Após gastar R$ 100 milhões com projetos para receber Olimpíada de 2016, cidade não tem recursos para evento

Bruno Lousada e Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

30 de setembro de 2009 | 09h06

Embora a candidatura do Rio já tenha gasto mais de R$ 100 milhões - boa parte dos cofres públicos - para receber a Olimpíada de 2016 e reforce seu apreço ao esporte, a cidade fechou as portas para um evento importante de natação, alegando falta de verba. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) não conseguiu recursos para realizar a etapa da Copa do Mundo, que ocorreria entre 23 e 25 de outubro, no Parque Aquático Júlio Delamare, no complexo do Maracanã.

 

Veja também:

link'O Rio não compete com Obama', diz Pelé sobre Jogos

linkObama esquenta lobby em disputa por Olimpíada

linkCabral e Paes minimizam apoio de Obama a Chicago

linkTóquio 2016 confia no meio ambiente para convencer COI

linkZapatero e reis espanhóis vão defender candidatura de Madri

linkSaiba mais: Desafios do Rio para receber os Jogos de 2016

especialESPECIAL - Tudo sobre as cidades candidatas

especialRIO 2016 - Mais sobre a campanha pelos Jogos

 

Nenhuma autoridade esportiva brasileira ofereceu ajuda financeira para evitar o cancelamento da etapa carioca, comunicado ontem pela Federação Internacional de Natação (Fina), a três dias do anúncio da sede dos Jogos de 2016.

 

"O que sei é que não haverá Copa do Mundo no Rio pelos próximos quatro anos", disse Cornel Marculescu, diretor executivo da entidade, em entrevista à agência de notícias Associated Press. O presidente da CBDA, Coaracy Nunes, negou que isso vá ocorrer. "Se tivermos dinheiro no ano que vem, vamos realizar a Copa do Mundo. Isso é mentira."

 

Maior referência da natação brasileira, medalhista de ouro na Olimpíada de Pequim nos 50 metros livre e um dos personagens principais do Campeonato Mundial de Roma (conquistou dois ouros), Cesar Cielo não disfarçava a frustração. "É mesmo inacreditável. Exatamente quando vamos bem no cenário internacional nos é dito que não se tem US$ 200 mil para realizar o evento. É inexplicável", disse ao Estado.

 

Cielo afirmou desconhecer as razões para o cancelamento da prova. Mas não poupou críticas. "A natação brasileira passa mesmo um momento muito ruim." Ele foi até Copenhague pedir votos pelo Rio para os Jogos de 2016 e admitiu a discrepância entre o luxo da campanha e a realidade da natação. Reconheceu que isso não gera uma boa imagem do País. "Tenho amigos que combinaram de passear pelo Brasil após as provas. Agora, está tudo cancelado. Vamos apenas nadar no exterior neste ano", lamentou.

 

A CBDA alegou que não tinha dinheiro para bancar o evento, que custaria cerca de US$ 800 mil (R$ 1,4 milhão), e decidiu cancelá-lo. Coaracy argumentou que gastou mais de R$ 1 milhão em julho para levar a delegação ao Mundial de Roma e desfalcou o caixa.

Tudo o que sabemos sobre:
nataçãocopa do mundorio de janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.