Rio lança edital para construção do velódromo de 2016

A prefeitura do Rio lançou nesta sexta-feira o edital de licitação para a construção do novo velódromo a ser erguido no Parque Olímpico, para os Jogos de 2016. A estrutura, que integrará o prometido Centro de Treinamento Olímpico, tem orçamento previsto em R$ 136,9 milhões.

LEONARDO MAIA, Agência Estado

13 de setembro de 2013 | 18h13

Ao contrário de outras instalações do Parque Olímpico, o velódromo será permanente, com capacidade para 5 mil lugares fixos e 800 provisórios. A arena de ciclismo também permitirá mudança de configuração para abrigar outros esportes eventualmente.

A obra foi necessária, segundo a prefeitura, depois que a União Ciclística Internacional (UCI) não homologou o antigo velódromo, erguido para os Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007, ao custo de R$ 14 milhões.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, em entrevista em agosto do ano passado, garantia que não iria demolir o antigo velódromo. "Podem vir com todo argumento técnico possível do mundo para mim que não vai demolir. Porque é um simbolismo muito ruim começarmos nossa Olimpíada dizendo que uma coisa que teve investimento público será demolida", disse ele na época.

Ainda segundo o prefeito, manter o prédio antigo preservaria os R$ 14 milhões e evitaria o gasto adicional de R$ 10 milhões, a diferença entre reformar o velho e erguer o novo. "Dá para construir umas quatro escolas na cidade", discursava, na ocasião, Eduardo Paes.

Mas, apenas três meses depois, Eduardo Paes mudou de postura e decretou que o velódromo do Pan seria destruído, alegando que o trabalho para reformá-lo seria superior ao gasto extra.

A licitação lançada nesta sexta-feira também prevê os custos de operação da estrutura por quase dois anos depois de sua entrega. O Ministério do Esporte repassará à prefeitura do Rio os R$ 136,9 milhões para a obra, além de R$ 7,2 milhões para o custeio de operação por 23 meses.

Os trabalhos devem se iniciar no próximo mês, com finalização prevista para o segundo semestre de 2015. O projeto básico já foi concluído e o plano executivo está prometido para antes do início das obras.

Sobre os valores, a prefeitura argumenta que a reforma do velódromo do Pan - obra que custou R$ 14 milhões - corresponderia hoje, ajustada pela inflação e por outras questões técnicas, a R$ 140 milhões.

As estruturas desmontáveis da antiga edificação serão levados para Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, e lá remontadas. Durante muito tempo, o Ministério do Esporte cogitou levar a instalação para Goiânia.

O Ministério do Esporte também promete construir um velódromo menor, sem cobertura e com pista de cimento, em uma das vilas olímpicas do Rio, com o intuito de introduzir jovens ao ciclismo.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaRio2016velódromo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.