Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Rio se organiza para receber delegações

Cerca de 700 pessoas, entre jornalistas, técnicos e delegações de 166 países devem estar presentes[br]em sorteio da Copa

Tiago Rogero / RIO, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2011 | 00h00

O aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio, ficará fechado no sábado entre 14 e 18 horas para o sorteio de grupos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. A medida, segundo a Infraero, foi solicitada pelo Comitê Organizador da Copa para não atrapalhar a transmissão do evento pela TV para mais de 200 países.

Os 42 voos previstos para o período serão remanejados para o Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, na Ilha do Governador, na zona norte.

O sorteio, às 15horas na Marina da Glória, na zona sul do Rio, será o primeiro evento oficial da Copa de 2014 e atrairá cerca de 700 pessoas para o Rio, entre jornalistas, técnicos e delegações.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, chegou ontem ao Rio após assistir à final da Copa América, domingo, na Argentina. Só do staff da entidade são 150 pessoas, que ficarão no Hotel Windsor Atlântica, em Copacabana. Sofitel e Copacabana Palace receberão boa parte das delegações.

O evento, segundo o presidente da seção fluminense da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Alfredo Lopes, causou um impacto pontual na hotelaria da cidade. "São cinco ou seis hotéis que concentrarão essas pessoas, principalmente na zona sul." Ao todo, 166 países participarão do sorteio, que não inclui a América do Sul, já que no continente as eliminatórias são disputadas em dois turnos, e não em grupos.

Confirmaram presença até ontem representantes de 106 associações e 38 treinadores, entre eles o campeão e o vice da última Copa, Vicente Del Bosque, da Espanha, e Bert Van Marwyk, da Holanda.

Há também técnicos de seleções menos expressivas, como Sudão (Ahmed Abdalla), Liechtenstein (Hans-Peter Zaug)e Nicarágua (Enrique Lena Leon). Muitos já estão no Rio, mas a maioria chegará a partir de quinta-feira. Na sexta, haverá um seminário promovido pela Fifa para as associações.

A segurança, coordenada pelo Ministério da Justiça, ficará a cargo das Polícias Federal, Civil e Militar, e usará boa parte do aparato montado para os Jogos Mundiais Militares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.