EFE
EFE

Rio usa Pan como carta de apresentação para Jogos de 2016

Lula e o COB afirmam que o evento de 2007 mostrou que a capital fluminense está preparada para a Olimpíada

Carlos A. Moreno - EFE,

26 de setembro de 2009 | 23h44

RIO - Os Jogos Pan-Americanos que o Rio de Janeiro organizou com sucesso em 2007 são a principal carta de apresentação da candidatura brasileira para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, que disputa com Madri, Tóquio e Chicago.

Veja também:

linkLula, Pelé e Eike Batista: nomes de luxo para o Rio

especialESPECIAL - Tudo sobre as cidades candidatas

especialRIO 2016 - Mais sobre a campanha pelos Jogos

Tanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) asseguram que o Pan demonstrou que a cidade é capaz de organizar, com total sucesso e segurança, um evento poliesportivo internacional de grande magnitude.

Segundo as autoridades brasileiras, a bem-sucedida realização do evento permitiu responder a todas as dúvidas, especialmente de segurança, capacidade e organização, que impediram o Rio de Janeiro de chegar como finalista na escolha da sede dos Jogos de 2008 e 2012, nas quais também foi candidato.

O Pan, no qual 5.662 atletas de 42 países disputaram 35 modalidades esportivas, custou cerca de R$ 3,5 bilhões e atraiu aproximadamente 700 mil turistas nos 16 dias de competição, nos quais o Rio de Janeiro registrou suas menores taxas de criminalidade e de engarrafamentos em vários anos.

"O melhor Pan da história", na opinião da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa), que demonstrou que o Rio de Janeiro pode garantir segurança, alojamento, transporte e infraestrutura adequados para uma competição com as características dos Jogos Olímpicos, alega o COB.

O Pan de 2007 também é importante para a organização dos Jogos de 2016 porque deu ao Rio mais da metade das praças esportivas exigidas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), como o Estádio Olímpico, o velódromo, o parque aquático e a arena olímpica.

"Os Jogos Pan-Americanos deram uma credencial ao Brasil para receber os Jogos Olímpicos. Os mais de 5.600 atletas que os disputaram puderam participar de uma competição que ofereceu condições melhores ou iguais às de qualquer Olimpíada em que tenham participado", assegura Lula.

Para o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, com o Pan o "Rio de Janeiro e o Brasil mostraram ao mundo sua capacidade de captar e realizar grandes eventos esportivos internacionais".

Segundo o dirigente, o trânsito fluiu bem, a cidade não viveu transtornos, os hotéis foram suficientes e o modelo de segurança, sem nenhum incidente, mereceu elogios tanto das delegações e dos visitantes como dos próprios cariocas.

"Em síntese, o êxito dos Jogos Pan-Americanos permite ao Rio concorrer com excelentes chances para sediar os Jogos de 2016. Os atletas que disputaram o Pan, que cravaram 123 novos recordes continentais, disseram que esta foi uma competição de nível olímpico", segundo Nuzman.

Para aproveitar o legado do Pan, o COB apresentou ao COI um projeto de candidatura para os Jogos de 2016 que aproveita a maioria das instalações e infraestruturas já construídas.

Segundo o COB, o projeto de candidatura do Rio custará quase um terço do que foi orçado para os Jogos de Londres em 2012, graças ao que já existe.

Para o presidente do COB, o Rio de Janeiro poderá aproveitar não só as praças construídas para o Pan, mas também o que for usado na Copa do Mundo de 2014, como um Maracanã totalmente reformado e modernizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.